Fechar
JUSTIÇA

Apresentador é executado em emboscada e julgamento tem data

Mais de 23 anos após a morte de Donizetti Adalto, o ex-vereador Djalma Filho será julgado

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

A morte do jornalista Donizetti Adalto pode finalmente chegar à uma conclusão mais de 23 anos após ter ocorrido. Foi marcado para o próximo dia 25 de outubro a realização do julgamento do ex-vereador de Teresina, no Piauí, Djalma Filho, principal acusado de ser o mandante do assassinato. O comunicador foi assassinado em 1998, em uma emboscada.

O juiz Antônio Reis de Jesus Nolleto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, designou que a sessão plenária de julgamento do ex-vereador seja realizada a partir das 08h30 do dia 25. Caso seja condenado, o ex-vereador Djalma Filho poderá pegar até 30 anos de cadeia. Fabrício de Jesus Costa Lima, João Evangelista de Meneses, Ricardo Luís Alvez de Sousa e Sérgio Ricardo do Nascimento Silva também são investigados.

O jornalista paraense Donizetti Adalto foi espancado e assassinado a tiros na madrugada do dia 19 de setembro de 1998, na Avenida Marechal Castelo Branco, no bairro Primavera, em Teresina (PI). Na época ele era candidato a deputado federal pelo PPS e o ex-vereador Djalma Filho estava no carro com ele. O ex-político é acusado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, meio cruel e a emboscada.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), baseado em inquérito policial proveniente do 2º Distrito Policial, o jornalista Donizetti Adalto foi morto numa emboscada, o que impossibilitou a sua defesa. De acordo com o portal GP1, foram desferidos vários tiros a queima roupa. O jornalista, ainda agonizando, foi torturado, ocasionando traumatismo nas unidades dentárias.

Continua após a publicidade

Donizetti Adalto voltava de um comício quando foi abordado por homens armados em motocicletas. Ele estava no mesmo carro que Djalma Filho quando foi executado, mas o ex-vereador não sofreu nenhum ferimento. O jornalista era paraense, mas morava em Teresina e apresentava um dos programas de maior audiência da TV piauiense.

A inclusão em pauta de julgamento da ação penal foi solicitada pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, em junho deste ano. Segundo o site Piauí Hoje, no despacho proferido no dia 11 de junho, o juiz afirma que no processo constam informações necessárias para o julgamento do ex-vereador. Diligências foram realizadas para localizar exames periciais e demais laudos solicitados pela defesa de Djalma Filho

Todo o material encontrado foi anexado aos autos, tendo em vista que se trata de um processo antigo, de 23 anos. Em uma decisão proferida no dia 14 de setembro, o juiz frisa que o processo está pronto para julgamento. “Não há que se falar em violação ao princípio da ampla defesa”, explicou. “Constam informações suficientes para permitir a apreciação da causa pelo Conselho de Sentença“, ressaltou.

O apresentador Donizetti Adalto, morto em emboscada (Reprodução)