Fechar
Deu ruim!

Associação dos Nordestinos entra com ação contra Karol Conká e Globo

A ex participante do BBB21 fez declarações sobre a forma de falar da colega de confinamento Juliette

Aline TorresRepórter do EM OFF

Mesmo após a eliminação histórica (99,17%), Karol Conká ainda sofre as consequências de suas atitudes na casa do Big Brother Brasil. A Anesp (Associação dos Nordestinos do Estado de São Paulo) entrou com ação civil pública no estado do Rio de Janeiro contra a ex participante e a TV Globo.

O processo se deve ao fato de a rapper ter feito uma declaração na primeira semana de confinamento, em que falou sobre a forma da colega de confinamento Juliette falar: “Me disseram que lá na terra [Paraíba] dessa pessoa é normal falar assim”, disse na ocasião.

A associação alegou que a fala foi preconceituosa ao associar educação com o local de nascimento: “Eu sou de Curitiba, é uma cidade muito reservadinha, tenho os meus costumes. Tenho muita educação para falar com as pessoas”, disse Karol ainda na conversa que teve com Sarah e Thaís.

De acordo com o UOL, a Anesp exige que a Globo abra espaço para que a cantora peça desculpas em rede pública e que envie nota oficial para os veículos de imprensa e ainda o pagamento de mil cestas básicas pelo ocorrido.

A fundadora da Anesp, Francis Bezerra comentou o caso: “Tem de respeitar o nordestino, tem que conhecer a nossa história para não discriminar. O mínimo que nós queremos é respeito às nossas tradições. Isso tem que acabar, isso é doloroso. As nossas crianças têm que brincar sem o medo de passarem pela chacota, de baterem na cabeça, de serem humilhadas. Nós não vamos parar enquanto esse tipo de situação acontecer”, disse.

Os crimes levantados pela advogada da associação, Sandra Libarina Vargas foram os de difamação e xenofobia pelas falas sobre a maquiadora dentro da casa, citando também a Globo como coautora.

Karol chegou a ver a cena em que fala sobre Juliette durante o programa “A Eliminação” no canal Multishow e negou as acusações de preconceito: “Quando eu falei que sou de Curitiba e falo mais baixo, é porque realmente a gente que é de Curitiba tem um tom mais baixo, mais chato de lidar com as coisas. Em nenhum momento eu desmoralizei ela, o sotaque dela. Eu acho incrível. não tive problema nenhum com isso. Tenho muitos amigos do Nordeste”, afirmou a cantora.

Ao serem procurados pelo UOL, Karol e Globo não enviaram algum posicionamento sobre a ação levantada pela Anesp até a publicação dessa matéria.