Fechar
Verdades Secretas

Ator diz que sua ‘primeira vez’ foi ao gravar ‘Verdades Secretas’

O modelo Gabriel Vieira faz estreia como ator em Verdades Secretas, e logo na primeira vez na profissão grava cenas quentes.

Augusto ViannaRepórter do EM OFF

A sequência de “Verdades Secretas” é considerada uma das tramas mais aguardadas pelo público que acompanhou a primeira fase da trama em 2015, na TV Globo. O folhetim estreou na última semana na plataforma de streaming Globoplay e, desde então, vem gerando muitos comentários pelas cenas de sexo exibidas. As imagens vão de sexo triplo à beijo grego. No elenco, o modelo estreante Gabriel Vieira contou como foi encarar as primeiras cenas da carreira e as mais ousadas. Ele nunca havia trabalhado como ator.

Ele conta sobre o trabalho da produção no momento em que era preciso entrar em cena e simular atos sexuais. “Vi o nível de profissionalismo de toda equipe e o quanto eles se preocupam em nos deixar à vontade e seguros. Isso foi fundamental para quebrar todos os tabus na minha cabeça”. O rapaz de 24 anos ainda revela como foi sua “primeira vez”: “Na minha primeira vez gravando, estava muito nervoso. Fiquei ansioso. Quase não dormi na noite anterior. Foi a primeira vez que eu entrei num estúdio de gravação, então, tudo era novidade para mim. Eu queria ver como tudo funcionava e, ao mesmo tempo, estava empolgado. Eu fui bem recebido por todos e, no fim do dia, já estava me sentindo em casa”.

O personagem dele se chama Tadeu e aparecerá em sequência com a prática conhecido como voyerismo, que caracteriza pessoas que sentem prazer em ver outras pessoas nuas ou em atos sexuais. Ele irá transar com Charia, interpretada pela atriz Rhay Polster, enquanto Lúcio, vivido por Daniel Andrade, ficará apenas observando. Gabriel comenta como foram as gravações: “Sempre existe um nervosismo, ainda mais sabendo o raio de alcance dessas imagens, que vão para o Brasil e o mundo inteiro. Como modelo, eu já tinha fotografado nu artístico”.

No entanto, ele diz que ficou assustado por ter que gravar as cenas mais quentes dentro de um estúdio  e na presença de outras pessoas. “Mas a ideia de estar num set com muitas pessoas e fazer uma cena me deixou um pouco apavorado. Quando cheguei lá, vi o nível de profissionalismo de toda equipe e o quanto eles se preocupam em nos deixar à vontade e seguros. Isso foi fundamental para quebrar todos os tabus na minha cabeça. Agora estou amando fazer”, conta. Um dos momentos mais esperados pelo público da novela, são as cenas de sexo entre atores Johnny Massaro e Bruno Montaleone.

Continua após a publicidade

Momento íntimo

Nas primeiras imagens, os dois aparecem transando e supostamente fazem ‘beijo grejo”. Massaro explicou sobre a cena em entrevista à colunista Patrícia Kogout. “Essa cena [que viralizou] não é um beijo grego de fato. Meu personagem estava simplesmente beijando a bunda do Mateus. Tem um momento de beijo grego, mas não é aquele. Tem uma maneira técnica de gravar”, disse o artista. Ele ainda contou como é o truque para que parece real. “Tem mais a ver com onde a câmera está do que como a gente está fazendo. Não teria sentido mesmo fazer. Com a posição da câmera e o enquadramento, dá a entender. Essa é a brincadeira”, revela o ator.

Johnny ainda explica que o uso de tapa-sexo gera segurança no momento: “É menos por pudor e mais conforto, porque envolve tanta gente, tanta coisa… Dá uma espécie de segurança”. Foram usados tantos itens, que os estoques do Rio de Janeiro e de São Paulo foram esgotados. Na história, Mateus é um garoto de programa que tem inicialmente um caso com Beth, personagem de Deborah Evelyn, madrasta de Giotto. Depois, ele acaba transando com toda a família: além de Giotto, a irmã dele, Irina, personagem de Julia Stockler e o pai dos dois, Lorenzo, vivido por Celso Frateschi.

Explicando sobre seu personagem Johnny Massaro contou que ele o considera um misto de Nelson Rodrigues com Pier Paolo Pasolini, que fez o filme Teorema, onde uma família se deixa seduzir por um visitante. “Quando tive o primeiro contato com a trama, vi que era um misto de Nelson Rodrigues com Pasolini e mais a coisa folhetinesca do Walcyr. Me atraiu de cara essa possibilidade de uma família se interessar pela mesma pessoa. Como é possível? Está escrito, a gente tem que fazer ser possível. Foi uma coragem escrever essa trama e bancar isso. É muito interessante”, finalizou Massaro.

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff