Fechar
Vazou

Áudio vazado revela detalhes da briga na casa de Lexa; ouça

No áudio, funkeira se assusta ao ver funcionárias machucadas após desentendimento

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

Duas mulheres que trabalhavam na casa da funkeira Lexa, no Rio de Janeiro, trocaram agressões nesta quinta-feira (13). A informação foi divulgada pela jornalista Fabíola Reipert, do “Hora da Venenosa”, da Record TV. Segundo ela, a diarista identificada como Ana Paula declarou ter sido agredida pela cozinheira Ludmila. Agora, um áudio gravado após a briga vazou na internet.

O material foi divulgado pelo colunista Leo Dias, do portal Metrópoles. Na gravação, Lexa conversa com as duas funcionárias e relata que ambas ficaram machucadas devido às agressões mútuas. “Se estressou… você deu um tapa nela primeiro, é isso? Gente olha como vocês estão machucadas, gente. Podem ir pra casa as duas que eu vou pensar o que eu vou fazer da minha vida“, diz a funkeira.

Ainda no áudio divulgado na internet, uma das funcionárias pede demissão. “Eu me demito, ela precisa mais do que eu. Eu me demito. Eu tenho o meu esposo, eu tenho as minhas coisas“, diz. Ontem, a jornalista Fabíola Reipert afirmou que a briga teria sido motivada após a diarista reclamar com a cozinheira por ter soltado os cachorros após ela ter feito a limpeza da casa.

Nesta quinta-feira, a ex-diarista que trabalhava na casa de Lexa e MC Guimê, marido da artista, acusou os artistas de demissão por justa-causa após a briga. Ela disse, ainda que chegou até mesmo a ser enforcada pela outra funcionária da casa. A ex-diarista declarou que não foi a primeira funcionária do casal a ser dispensada sem receber seus devidos direitos trabalhistas.

Continua após a publicidade

Por meio de uma nota divulgada pela sua equipe, Lexa declarou que todos os direitos trabalhistas foram quitados. “A cantora Lexa vem se pronunciar sobre a briga de suas funcionárias dentro de sua residência. Ela esclarece que foi acordada com socos na porta do seu quarto e correu para abrir a porta e se deparou com suas funcionárias se agredindo pediu que parassem de se agredir e ao socorrer ambas, uma delas pediu para ser demitida, partindo assim da própria, após Lexa impor respeito em seu domicílio“.

O texto prossegue, dizendo que tudo foi pago de acordo com as leis trabalhistas. “Além disso, aproveita a oportunidade para informar que toda documentação foi devidamente assinada e registrada digitalmente. Todos os pagamentos previstos pela lei foram efetuados e não há quaisquer pendências financeira trabalhistas em aberto“, disse a assessoria.

E segue defendendo os direitos de todo cidadão de bem que trabalha em ter sua carteira registrada e seus direitos respeitados, mas cima de tudo que mulheres devem sempre sentarem e dialogarem e qualquer que seja a situação e não se agredirem. Ambas brigaram dentre de sua casa e isso é inadmissível, respeito é fundamental“, finalizou.

Ouça o áudio abaixo:

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff