Fechar
Treta jurídica

Azul é condenada a pagar indenização a Elba Ramalho por voo atrasado

Elba Ramalho venceu disputa judicial contra a Azul por voo atrasado no final de 2018, quando precisou fretar um jatinho particular

Aline TorresRepórter do EM OFF

A companhia aérea Azul foi condenada a pagar uma indenização no valor de R$ 25.433,45 à cantora Elba Ramalho devido a um voo atrasado em 2018. A Justiça entendeu que a cantora teve prejuízo ao precisar fretar um jatinho particular para chegar a um compromisso.

Elba precisava realizar um show no ano novo de 2018 para 2019 no Recife e o voo para chegar a cidade seria feito pela Azul, porém, a equipe da cantora foi informado que a decolagem demoraria cerca de uma hora, o que ocasionaria o atraso dos compromissos previamente marcados.

Segundo o UOL, a produtora Acauã, responsável pela agenda de Elba no dia do ocorrido, afirmou que ela se apresentaria de 00h20 às 01h20 e ela teria emitido uma passagem para 31 de dezembro de 2018. No entanto, a artista teria que chegar as 16h para compromissos a partir das 18h15 na capital de Pernambuco.

Ao chegar no aeroporto para o voo das 11h, a Azul comunicou o atraso. Ao alugar o jatinho particular, Elba pagou o mesmo valor pedido na indenização. Na decisão, os desembargadores responsáveis frisaram a importância da presença de Elba no local:

“Em que pese ter a companhia aérea ter ofertado reacomodação em outro voo, a passageira é artista consagrada no cenário cultural brasileiro e estava se dirigindo à Cidade do Recife-PE para a realização de Show de Reveillon contratado pela Prefeitura Municipal, tendo, de acordo com o cronograma acostado aos autos, obrigações desde às 19 horas naquela Cidade”, diz um dos trechos da decisão.

“Considerando que o atraso do voo importaria na perda da conexão no aeroporto de Confins (Belo Horizonte-MG) e que a realocação para o voo seguinte tinha chegada prevista em Recife às 21h10min (hora local), muito depois do horário de seu primeiro compromisso, outra alternativa não restou à passageira senão o fretamento de serviço de transporte aéreo comercial às suas expensas”, finaliza a decisão.

A artista pediu ainda uma indenização por danos morais, mas foi recusado pela Justiça: “No caso dos autos, o atraso foi pouco superior a uma hora e a companhia aérea ofereceu a reacomodação em outro voo, atuando de forma a poder aliviar os transtornos causados pelo referido atraso”.

Procurados pelo UOL, nem a Azul, nem Elba Ramalho se pronunciaram sobre o assunto até o momento.

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo