Fechar
PERDA

Bailarino Ismael Ivo morre após complicações da Covid-19

O bailarino despontou na década de 1970 e atuou por mais de 30 anos na Europa

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

Morreu na noite desta quinta-feira (08) o bailarino e coreógrafo Ismael Ivo, aos 66 anos, vítima de complicações geradas pela Covid-19. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e a morte foi anunciada nas redes sociais do artista.

Ivo ganhou notoriedade dentro e fora do país. Na década de 1970, o dançarino despontou no auge da dança contemporânea de São Paulo e, na década seguinte, seguiu para o exterior.

Ele atuou por mais de três décadas na Europa, onde fundou o festival ImPlusTranz, em Viena, ao lado do diretor artístico Karl Regensburger. Ivo também foi diretor da Bienal de Veneza e do Teatro Nacional Alemão.

Em 2017, retornou ao Brasil e assumiu a direção do Balé da Cidade de São Paulo. O artista foi o primeiro negro a ocupar o cargo. O bailarino trabalhou com grandes nomes da dança mundial, como Pina Bausch, William Forsythe e Marina Abramović. Em 2010, foi condecorado com a Ordem do Mérito Cultural por sua contribuição à cultura brasileira.

Continua após a publicidade

A produção tentou quebrar formas e se distanciar de uma dança mais rígida“, afirmou Ivo em entrevista à Folha de S. Paulo em 2017. “Nesse movimento, acabou se centrando em si mesma, deixou de considerar a experiência do receptor. Ora, se é para dançar só para você, fique em casa“.

Em 2020, integrantes do Balé da Cidade encaminharam denúncias de assédio moral contra Ismael Ivo, que foi demitido pouco tempo após as acusações.

Nas redes sociais, artistas de vários segmentos lamentaram a morte do bailarino. “A dança acorda mais triste hoje com a perda de Ismael Ivo para o Covid-19. Um destruidor de barreiras em toda a sua trajetória“, escreveu o rapper Emicida.

Tags Relacionadas: