Fechar
Solidariedade

Bruno Gagliasso tenta tranquilizar surto de Sérgio Hondjakoff; assista

Sofrendo com a dependência química, nesta semana, o ator chamou atenção depois de realizar uma live no Instagram, em que ele ameaçou o pai de morte

Nayara VieiraRepórter do EM OFF

Bruno Gagliasso enviou uma mensagem por meio de um vídeo particular para o ator Sérgio Hondjakoff, que ficou famoso por interpretar o papel de Cabeção na novela Malhação, da Globo. Sofrendo com a dependência química, nesta semana, o ator chamou atenção depois de realizar uma live no Instagram, em que ele ameaçou o pai de morte.

O marido de Giovanna Ewbank, começou o vídeo confessando que já não tinha contato com o ator há um tempo, mas demonstrou solidariedade neste momento delicado da vida de Sérgio. Na gravação, que a coluna de Léo Dias teve acesso, ele destacou que está ajudando o amigo a se curar do vício.

“Fala, Sérginho! Quanto tempo hein, amigo? Quem está falando aqui é o Bruninho, que você conhece há anos. A gente andou afastado, mas eu to muito feliz de saber que você encontrou com o Sandro, que é um cara que faz parte da minha vida e que fez parte da vida do meu primo e ajudou muito a minha família”, relembrou o artista.

“Tenho certeza que vai estar do seu lado pro que der e vier, assim como quero que você saiba que estou do seu lado pro que der e vier. É difícil, mas não é impossível. Um grande beijo. Estamos juntos, cara. Ninguém vai largar a tua mão não. Não larga a nossa mão. Abraço!”, completou Bruno Gagliasso.

Continua após a publicidade

Nesta segunda-feira (06), como adiantou o repórter Jean Telles, do EM OFF, Sérgio teve um momento de surto. No Instagram, ele fez várias ameaças contra o próprio pai, exigindo uma quantia em dinheiro. “Eu estou pedindo mil reais para o meu pai, para ir para São Paulo e ele não quer me dá! Ele quer que eu seja internado contra a minha vontade, só porque deu uns ‘tequinhos’”, começou.

Descontrolado, Sérgio ficou seguindo o pai com um bastão na mão, o ameaçando. “Ai estou falando assim: ‘Pai, se você não me der mil reais eu vou ser obrigado a te matar, né?”, disse. Sem obter resposta, Sérgio continuou com as ameaças: “Você prefere que você me de mil reais ou que eu te mate? Você é obrigado a me dar mil rais”.

O Ministério Público descobriu, no ano passado, que Sérgio era uma das 46 pessoas que estava mantido em cárcere privado em uma clínica de reabilitação em Pindamonhangaba, e que foi interditada. Depois que a notícia veio a público, Sérgio desabafou sobre o assunto. “Minha recuperação está em primeiro lugar na lista”, disse.