Fechar
CAUSOU POLÊMICA!

Cantor brasileiro divulga colar com o próprio sangue: ‘Troque por sua alma’

O item se encontra disponível na loja do cantor. Os fãs interessados no colar precisam "entregar" sua alma ao músico

Jean TellesRepórter do EM OFF

Um dos maiores nomes do trap nacional, o cantor Matuê causou polêmica recentemente. Depois de aparecer em stories em seu perfil oficial no Instagram tirando seu próprio sangue para colocá-los em pingentes de colares o músico agora disponibilizou as peças a seus fãs. Para conseguir um dos itens ‘exóticos’ os fãs precisam “entregar” sua alma ao artista. 

No site da loja oficial do cantor, os fãs podem conferir o anúncio da corrente que não se encontra a venda. O valor do anúncio aparece zerado e abaixo há um aviso contendo a frase: “troque por sua alma”. Ao clicar na frase, você é direcionado para uma série de avisos que o músico nomeou como “Termo de cessão de alma”. 

Entre as cláusulas presentes nos termos estava: Declaro possuir disponibilidade ilimitada, a partir do momento do cadastro, para que um agente faça a coleta de minha ALMA em qualquer local e a qualquer tempo, a critério exclusivo da Organização. A coleta da ALMA não precisará de aviso prévio e não poderá ser cancelada ou reagendada”. 

E essa não é a primeira vez que o cantor de trap polemiza ao fazer marketing de seus trabalhos na música. Em 2020, ao divulgar seu mais recente álbum “Máquina do Tempo” ele sentou em uma cobertura de um prédio que exibia um grafite gigante que fazia alusão a seu mais novo álbum. 

Continua após a publicidade

E a ação de marketing parece ter valido e  muito  para o cantor de trap, já que o seu novo trabalho teve a melhor semana de estreia de um álbum na história do Spotify do Brasil. Mutuê emplacou todas as sete faixas do disco entre as 15 mais tocadas no país na plataforma em seu dia de lançamento, 10 de setembro. 

A nova ação bizarra de Mutuê pode ter sido inspirada em uma ação semelhante ao que fez o happer Lil Nas X. Em março desse ano, o artista norte-americano em parceria com um coletivo lançou 666 pares de tênis customizados da marca Nike. Detalhe, sem a permissão da gigante de artigos esportivos. O que acabou gerando em um processo movido pela empresa. 

O modelo foi lançado no mesmo dia em que estreou o clipe polêmico do cantor Montero (Call Me By Your Name), no vídeo o happer desce de um poste do céu ao inferno usando o item. Cada par comercializado continha uma cruz invertida e um versciculo biblíco que dizia: “Ele respondeu: “Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago” (Lucas 10:18). 

Os pares de tênis ainda levavam uma gota de sangue humano doados pela equipe do coletivo de arte em sua sola. A Nike não gostou nada de ver o nome de sua marca envolvida na polêmica e entrou com uma ação contra o coletivo: “MSCHF e seus sapatos de Satanás não autorizados provavelmente causarão confusão e criarão uma associação errônea entre os produtos MSCHF e a Nike”. Disse a Nike em processo. 

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo

Tags Relacionadas: