Fechar
Atacada

Cantora Gabily se enfurece ao ser atacada em show e detona agressor

A cantora desabafou nos stories do Instagram

Vitor CaiqueRepórter do EM OFF

A cantora Gabily foi alvo de ataques durante uma apresentação musical no Rio de Janeiro. Durante a participação da funkeira no show do cantor Suel, um homem que estava na plateia começou a ofender a cantora com xingamentos, mostrando o dedo do meio, e falando para ela sair do palco, chegando a jogar um objeto na compositora, atingido até Suel, dono do evento.


Após o acontecido, Gabily resolveu se manifestar pedindo respeito, dizendo que estava apenas fazendo o seu trabalho. Minutos depois de sua primeira aparição sobre o assunto, a artista de 26 anos resolveu gravar mais uma sequência de stories, explicando tudo nos mínimos detalhes, dizendo ter ficado bastante chateada com a situação constrangedora e violenta, no meio do show lotado.

“O gente estava fazendo lá meu bom show, quietinha no palco lá no evento do meu amigo Suel, e simplesmente um homem começou a mandar dedo pra mim, me xingar, fazendo assim pra mim [sinal de tchau], a troco de nada. Nunca vi esse homem na minha vida, ele tirou a tampa do Chandon, tacou no palco para pegar em mim, pegou no Suel, tipo eu não sei até quando iremos passar por essa falta de respeito, entendeu?”, iniciou a cantora.

“A gente está ali trabalhando gente… O cara já sabia que eu seria a atração do evento, não gosta não vai, simplesmente. Não sei porque se não gosta do artista ainda vai, taca objetivo, fica ofendendo o artista, a gente é ser humano igual vocês, o mínimo que temos que ter é respeito. Eu sai de lá extremamente chateada, por causa da atitude que esse cara teve”, continuou.

Continua após a publicidade

“Minha vontade era de avançar nesse cara, mas não consegui porque estava muito lotado o evento do meu amigo Suel, graças a Deus por isso, porque queria ver se ele ia ser homem para fazer isso comigo. E é isso, queria só pedir respeito, deixar eu fazer o meu trabalho, se não gosta do meu trampo, é só esperar eu descer do palco, agora catar as coisas em cima de mim… vamos ter cuidado, e maneirar, ter empatia pelo próximo”, finalizou Gabily, chateada com o momento.

Gabily revela que sofre preconceito por cantar funk

Vale lembrar que recentemente a cantora falou sobre sua carreira, para a revista Quem, abrindo o coração e relatando que ainda sobre preconceito por cantar funk. “Sofro bastante preconceito ainda. Somos vistas como uma mulher de menos valor. Quando me apresentei nesse ano no prêmio Multishow, estavam gravando na plateia e saíram vários comentários ao fundo do vídeo“, iniciou.

“Essa daí só sabe rebolar ou ‘só canta putaria’… Comentários tirando meu mérito de estar numa premiação importante por conta do meu trabalho. Acontece direto, é uma coisa bem comum, mas não me chateia mais. Eu costumo não levar mais para o coração. Eu sei qual é a minha missão de estar aqui, se Deus quiser vou deixar meu legado”, comentou a cantora.


Gabily ainda comentou sobre os passos na carreira musical, falando sobre o preconceito e machismo que grandes nomes do funk brasileiro já passaram em busca do sucesso. “Tati Quebra Barraco, Mc Sabrina, Valesca e até a Anitta sofreram ainda mais preconceito. Ainda sofremos muito preconceitos, mas hoje em dia as coisas são mais fáceis. Elas trilharam o caminho, torando os espinhos para que a gente pudesse vir depois”.

“Por isso, admiro muito essas mulheres. A Valesca é uma inspiração pelo tanto que ela sofreu para hoje a gente estar aqui. O que eu sofro hoje não é nem metade do que essas pessoas já passaram lá atrás”, finalizou Gabily, relatando as dificuldades e falando sobre as referências e inspirações de sua carreira na música.