Espiritismo

Carta psicografada ajudou a identificar corpo de homem há 8 anos

Carta psicografada em 2014 ajudou na identificação de corpo de homem desaparecido desde 2012. Caso parecido aconteceu com Eliza Samúdio

Aline Torres
Repórter do EM OFF

A repercussão da carta psicografada pela vidente Chaline Grazik, que diz ter recebido a mensagem de Eliza Samúdio, foi o assunto das redes sociais nos últimos dias. A mensagem da ex-amante do goleiro Bruno, emocionou os internautas e pessoas que acreditam na possibilidade dos espíritos se comunicarem com os vivos através da psicografia.

Conforme noticiado pela colunista Cíntia Lima, na carta psicografada supostamente pela modelo, ela afirma que a situação de sua morte foi cruel e horrorosa. A carta afirma que Eliza morreu estrangulada, que apanhou com um pedaço de pau e que foi jogada em um rio. A modelo sumiu há 12 anos após cobrar pensão para o filho que teve com o ex-goleiro do Flamengo.

O caso da carta psicografada de Eliza, trouxe à tona um outro caso em que o dom espiritual ajudou a desvendar um mistério. O Diário do Nordeste relembrou a história de corpo encontrado e que foi identificado graças a uma psicografia em 2014. Galdino Alves Bezerra, de 47 anos, estava desaparecido há dois anos até então, desde 2012.

Segundo o portal de notícias, a mãe de Galdino afirmou que o filho sempre ficava longos períodos longe de casa, mas estranhou os quarto meses que não tinha sequer, um sinal do homem. a senhora chegou a espalhar fotos do filho pela cidade, mas nem novidades, acreditou que ele pudesse estar realmente morto.

Após o desaparecimento de Gladino, a mãe também começou a frequentar um centro espirita e em uma certa ocasião, recebeu uma carta psicografada pelo sogro, avô de Galdino, que teria indicado o local onde estava o corpo do neto, na Lagoa Juvenal. Logo em seguida, a mulher sugeriu às autoridades sobre a localização do corpo do filho.

No entanto, os restos mortais já haviam sido localizados, porém, havia permanecido sem identificação graças ao estado avançado de decomposição. O caso chegou a ser arquivado e o corpo enterrado como anônimo. Foi então que, depois da tentativa da mulher, o corpo foi exumado.

Logo em seguida, um exame de DNA foi realizado, utilizando material genético do corpo encontrado e da mãe de Galdino. A mãe do homem não chegou a falar sobre a carta psicografada para os policiais à época, apenas em 2016, surpreendendo a todos. A seguir, trecho da carta apresentado pela mãe de Galdino às autoridades:

Maria, 
[…]
Sei  que  você  trás  [sic]  as  marcas  dessa  dor  de  mãe,  até com  a  busca  toda  que  você tem  feito  do  Galdino  e,  por  isso,  em  Canindé  você  vai  rezar  ao  nosso  Santo,  mas  vai antes precisar olhar as ossadas da Lagoa do Juvenal no caminho do Maranguape.
 […]
Infelizmente existe muito mal nesse mundo, minha irmã em Jesus. Sou  o  avô  dele  e  estou  na  proteção,  mas  não  posso  adiantar  nada  quando  isso  faz parte da tua necessidade de evolução espiritual. 
[…]
Com respeito e carinho, Galdino Alves Bezerra.

Em uma segunda carta, Galdino Neto foi quem resolve enviar uma mensagem para a mãe. O espirito do homem contou que saiu como todas as outras vezes, mas que desceu errado do ônibus que ia para uma vaquejada: “Desci errado do ônibus… a lagoa me chamou a atenção”, escreveu.

O espirito ainda afirmou que “teve gente que pensou que eu tinha dinheiro, mas como bateu com força demais quis esconder o corpo” e por fim, tranquilizou a mãe: “Agora eu posso ver a luz que tem na senhora e que eu não via quando eu tava por aí com todo mundo. (…) A senhora cuidou de mim. Eu agora peço a Deus pra cuidar da senhora”, completou.