Fechar
Nova polêmica

Contratação de show de Gusttavo Lima por R$ 800 mil será investigada

Ministério Público do Estado de Roraima cobrou explicações a respeito do valor pago

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

O cantor sertanejo Gusttavo Lima está no meio de uma nova polêmica envolvendo dinheiro público. O MPRR (Ministério Público do Estado de Roraima) abriu uma investigação para analisar a contratação do músico, apoiador do governo de Jair Bolsonaro (PL), pela prefeitura da cidade de São Luiz, em Roraima. O valor do cachê pago é de R$ 800 mil.

São Luiz é a menor cidade do estado de Roraima, com uma população estimada em 8.232 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O PIB do município é de R$ 147,6 milhões, sendo o segundo mais baixo do Estado. Levando em consideração o número de habitantes, é como se cada pessoa da cidade pagasse R$ 97,11 pelo show, considerando bebês, crianças e idosos.

Em nota enviada ao UOL, o Ministério Público de Roraima disse que “a Promotoria da Comarca expediu ofício para o Município de São Luiz, solicitando informações a respeito da contratação do show, de como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para a municipalidade. O MPRR aguarda a resposta do Município para, então, adotar as medidas necessárias”.

De acordo com a Agência Cenarium, a apresentação de Gusttavo Lima será realizada no município de São Luiz, distante 310km de Boa Vista, capital de Roraima, durante a 24ª edição da Vaquejada e 13ª Feira de Agronegócio, que acontece no início de dezembro. A informação da contratação foi publicada na sessão de editais do “FolhaBV”, jornal de Boa Vista, capital do estado.

Continua após a publicidade

Ainda segundo a agência, a empresa Balada Eventos e Produções Ltda, responsável pela apresentação do sertanejo, foi contratada sem um processo de licitação, conforme critério da Lei Federal 8.666/1993 vigente até 31 de dezembro deste ano. Em fevereiro deste ano, o prefeito James Batista (Solidariedade) anunciou pelas redes sociais a presença de Gusttavo Lima no evento.

Em 2019, Gusttavo Lima cobrava cerca de R$ 300 a R$ 400 mil para se apresentar em eventos de prefeituras pelo Brasil. Na cidade de Colina, São Paulo, o show do sertanejo ocorreu por um cachê de R$ 303 mil, enquanto, em Pompeia, também em São Paulo, recebeu o valor de R$ 300 mil. Após a retomada de shows, paralisados pela pandemia, o cantor passou a ser o artista com maior cachê do País, chegando a faturar até R$ 1,2 milhão por apresentação.

No início deste mês, a Prefeitura de Santa Terezinha de Itaipu, no Paraná, divulgou o cachê de alguns artistas contratados para um evento municipal, entre eles, Gusttavo Lima, que irá receber R$ 850 mil, enquanto Dj Alok fatura R$ 250 mil, Frejat R$ 144.300 mil e a dupla Clayton & Romário por R$ 100 mil. Apesar de já ter apoiado Bolsonaro publicamente, Gusttavo Lima nunca criticou a Lei Rouanet em público.

Críticas

Um show do cantor Gusttavo Lima, realizado no último final de semana em Brasília, deu o que falar nas redes sociais após um discurso político sobre o Brasil, vindo de um narrador de rodeios cuiabano, que com o apoio e aval do sertanejo. O narrador bradou contra o comunismo durante show do cantor e fez um discurso citando “Deus, pátria e família”.

“A sua família é a sua riqueza, o teu sonho é a tua vitória, a tua conquista. E nós temos que defender, que acreditar. Porque na vida é Deus, pátria, família e liberdade, porr*. Liberdade para pensar, para agir, para conversar. Liberdade para estar na internet, liberdade de expressão, liberdade de conquista”, disse. “Isso é a verdade que a gente tem que acreditar, porque aqui nunca vai ser o comunismo, e sim uma democracia”, ressaltou.

Edital da contratação do show do sertanejo (Reprodução)