Fechar

EXCLUSIVO Descontrolada, Luísa Mell agride médicos e acaba sendo processada

O EM OFF teve acesso com exclusividade à queixa-crime ajuizada contra a famosa pelo crime de injúria e difamação

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

Mais uma polêmica envolvendo a apresentadora e ativista pelos direitos dos animais, Luísa Mell, veio à tona nesta semana. A famosa está sendo processada pelo crime de injúria e difamação por um médico dermatologista de São Paulo. O profissional entrou com uma queixa-crime contra Luísa, dizendo que foi ofendido e agredido durante uma consulta médica realizada em abril deste ano.

Em setembro, a ativista afirmou durante uma live realizada no seu Instagram que sofreu uma violência médica, já que, segundo ela, teria sido submetida a uma lipoaspiração em suas axilas sem sua permissão. O dermatologista, no entanto, reforça na ação movida contra Luísa Mell que a apresentadora tinha total conhecimento do procedimento estético e que o próprio marido dela, Gilberto Zaborowsky, na época, também havia passado pelo mesmo tratamento.

No documento ajuizado contra a apresentadora, o dermatologista Guilherme Olavo Olsen de Almeida afirma que Luísa Mell “proferiu uma série de ofensas contra o profissional durante uma consulta realizada no dia 12 de abril deste ano“. A ativista teria se dirigido ao profissional como “bandido”, “canalha” e “mentiroso”. Ela também teria arremessado um copo contra o médico. Toda ação foi, segundo o documento, testemunhada por outras pessoas.

Os profissionais que atenderam Luísa Mell dizem na ação que não realizaram uma lipoaspiração, conforme a apresentadora e ativista afirmou em seu relato nas redes sociais, e sim um procedimento de radiofrequência, já que o local é uma clínica de dermatologia, e não de cirurgia plástica. O EM OFF procurou a assessoria de imprensa de Luísa Mell e pediu um posicionamento da famosa sobre o ocorrido, mas não obtivemos retorno. O espaço segue aberto para a resposta da apresentadora.

Continua após a publicidade

O procedimento

O EM OFF teve acesso com exclusividade à queixa-crime protocolada por Guilherme Olavo Olsen de Almeida. No texto, ele ressalta que é dermatologista há vinte e três anos e, há mais de dezoito, é sócio proprietário da clínica, localizada no Itaim Bibi, em São Paulo, onde Luísa Mell realizou o procedimento em 2 de dezembro de 2020. “[A apresentadora] submeteu-se a um procedimento de radiofrequência e laser para tratamento da flacidez em diversas regiões anteriores do corpo.

O procedimento usando radiofrequência é amplamente utilizado pela dermatologia estética no combate à gordura localizada, celulite e flacidez. A técnica promove ainda o rejuvenescimento da pele por meio da aplicação de ondas eletromagnéticas, produzindo um calor que contrai as fibras e estimula o corpo a produzir mais colágeno. Os resultados, no entanto, dependem de uma série de fatores.

Ainda segundo o documento, cerca de quatro meses após o tratamento, em 12 de abril de 2021, Luísa Mell e seu então marido, Gilberto, foram até o consultório para “sanar as queixas da paciente, referentes ao procedimento para flacidez” realizado pelo médico. De acordo com Almeida, a ativista, que já havia feito ofensas ao profissional por meio de aplicativos de mensagens, chegou ao local alterada.

Confusão

Luísa Mell teria entrado no consultório tirando a máscara e gritando com os profissionais presentes no local. “Olha o que vocês fizeram em mim. Eu estou horrorosa. Eu era linda“, disse a famosa, segundo o médico. Almeida, então, tentou acalmar a apresentadora, reforçando que Luísa Mell não compareceu a algumas consultas nem seguiu orientações do pós-procedimento, e que por isso, ela não havia alcançado o objetivo esperado.

Foi então que as ofensas teriam começado. A famosa acusou Almeida “de ter feito o procedimento nas suas axilas sem o seu consentimento” e, na presença do marido e demais profissionais da clínica, passou a ofender o dermatologista, “chamando-lhe de ‘bandido’, ‘canalha’, ‘mentiroso’ e, não satisfeita, xingou-o de ‘[email protected] da [email protected]’ e arremessou um copo de vidro e um porta copo de prata em sua direção“, diz o texto.

Ainda segundo a ação, Luísa Mell precisou ser contida pelo seu marido e ser levada levada para fora por seguranças da clínica. “Importante frisar que Luísa Mell tinha pleno conhecimento a respeito não somente do procedimento a que se submeteu, mas também dos resultados a longo prazo e da importância de seguir corretamente as prescrições e manter o acompanhamento contínuo no pós“, ressaltou o profissional na queixa-crime.

Almeida reforça que o empresário Gilberto Zaborowsky, um mês antes, também havia se submetido ao mesmo procedimento e que Luísa Mell acompanhou todo o período do pós. O médico ainda afirma que sofre ameaças da apresentadora. No documento, ele diz que a famosa iria divulgar o nome dele “como sendo o médico que realizou um procedimento sem a sua permissão“, deixando-a “horrorosa”.

Guilherme Olavo Olsen de Almeida ainda juntou nos autos do documento ajuizado o termo de consentimento assinado por Luísa Mell. O médico afirma que teve sua reputação prejudicada pelas falas da apresentadora e, por isso, pede que a famosa seja enquadrada no artigo 140, §2º, do Código Penal, que prevê “detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência”. (Colaborou Danilo Reenlsober)

Tags Relacionadas: