BELEZA RENOVADA

Dra. Caroline Motta Aguiar revela benefícios do ultrassom microfocado

Rápido, indolor e pouco invasivo, este procedimento é eficaz e tem boa resposta contra flacidez e destruição de gorduras na pele

REDAÇÃO

Com apenas uma sessão de no máximo uma hora, o ultrassom microfocado ganhou protagonismo, nos últimos anos, sendo considerado por médicos especialistas uma das principais tecnologias de combate à flacidez e gordura na face e corpo. Na face, o procedimento pode tratar a região da papada, produzir efeito bichectomia (com diminuição da gordura em maçãs do rosto e efeito lifting não-cirúrgico), melhora a flacidez na região dos olhos e lábios.

É pouco invasivo, indolor, exige apenas uma anestesia local e, ao final de todo o processo, o paciente está liberado para retomar aos compromissos do dia. Não há o chamado downtime, ou período de repouso e inatividade. Os resultados podem ser observados imediatamente e continuam sendo melhorados durante um período de até 90 dias.

A técnica age diretamente contra a perda de colágeno, que é um processo natural do envelhecimento com o passar do tempo. O procedimento, realizado pelo aparelho Liftera, tem o objetivo de recuperar o tecido facial por meio de pequenas lesões térmicas calculadas, que induzem a produção de colágeno. Os efeitos perduram pelo resto da vida e são cumulativos.

O método trabalha em todas as suas etapas com o auxílio de recursos avançados, deixando tudo muito simplificado, eficaz e rápido. Basicamente, o ultrassom microfocado utiliza o calor para realizar a melhora do tecido flácido. As ondas emitidas pelo aparelho atingem as camadas com maior concentração de colágeno da cútis para uma avaliação e mapeamento de toda a estrutura da pele.

Na sequência, a inteligência da tecnologia define os pontos que precisam do tratamento e toda energia emitida fica concentrada nessas áreas, com um feixe que ocupa o espaço de pelo menos um milímetro cúbico. A temperatura aumenta, gerando pequenos pontos de coagulação térmica que chegam a uma profundidade de até cinco milímetros.

“O calor irá desencadear uma desnaturação das fibras de colágeno dos tecidos gordurosos, estimulando a contração dessas fibras e a produção de colágeno novo para o local. Com isso, haverá também uma contração dos músculos do rosto, o que causará o efeito de lifting facial logo após a sessão. E esse efeito permanece, atingindo a melhor fase em até seis meses, quando a produção de colágeno está no máximo. A redução da flacidez fica visível. O resultado é surpreendente”, explicou Dra. Caroline Motta Aguiar, médica dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (CRM: 175434/ RQE 84833).

O ultrassom microfocado também é recomendado para tratar rugas, elevar as sobrancelhas sem a toxina botulínica, melhorar a qualidade da pele do pescoço e até outras áreas corporais, como o umbigo, os braços e as coxas. A contraindicação só vale para pacientes grávidas ou que estejam amamentando.