Fechar
Sertanejo na justiça

Eduardo Costa vira réu por estelionato

Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra o cantor sertanejo

Vitor CaiqueRepórter do EM OFF

O cantor sertanejo Eduardo Costa é réu em um processo por estelionato, a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) contra o cantor. A informação foi dada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais nesta quinta-feira (3). De acordo com a denúncia, o cantor obteve “vantagem ilícita” em um imóvel negociado em Capitólio, Minas Gerais.

A negociação junto ao cunhado do cantor foi referente ao imóvel que é avaliado em 6 milhões, que foi passado em troca da residência no Sul de Minas que custa 9 milhões de reais. Para abater o valor de 3 milhões restantes, o sertanejo repassou alguns bens para o casal comprador do seu antigo imóvel. Após as negociações, o casal descobriu que o terreno possuía ações na justiça

Preenchidos os pressupostos processuais e as condições para o exercício da ação penal, não estando inepta a denúncia e presente a justa causa, recebo a denúncia, nos termos do art. 395, do CPP”, afirmou o juiz José Xavier Magalhães Brandão, em decisão publicada.

Além dos problemas na justiça, Eduardo Costa está à beira da falência

Além da polêmica dos problemas judiciais do cantor, o sertanejo ainda vive outros perrengues em sua vida que só mancha ainda mais seu nome e carreira na música. Recentemente Eduardo foi alvo de boatos de falência, substituído por Bruno e Marrone no Cabaré, turnê com uma série de shows ao lado de Leonardo que foi um tremendo sucesso por alguns anos, a expulsão da agência Talismã, empresa comandada por Zé Felipe e Virgínia Fonseca e a briga com seu ex-parceiro de palco e amigo Leonardo foram alguns dos motivos para o cantor amargar a falência, perdendo dinheiro em muitos projetos artísticos.

Continua após a publicidade

A situação se tornou pública após Eduardo Costa desabafar no canal do Youtube “Conceito Sertanejo”, ocasião em que o sertanejo acabou revelando algumas coisas de sua vida pessoal. “Lá para trás eu investi dinheiro em outros projetos e Graças a Deus fiz uma estrutura (financeira), mas se tratando da música e mesmo com as empresas que eu tenho, eu só fiquei no vermelho durante essa pandemia”, iniciou o cantor que continuou desabafando.

E aí eu parei de pegar patrocínio para lives, fiz elas independentes e nem as minhas empresas eu coloquei nas lives, porque eu poderia usá-las, e fiz todas as lives pagando do meu próprio bolso, os vídeos todos que eu coloco eu pago. Só de vídeos e lives até agora eu já gastei R$ 4 milhões. Aí você imagina, eu não fiz shows e nenhum tipo de evento privado, a minha renda musical é de direito autoral“.

Eduardo continuou comentando sobre sua vida financeira dizendo que não faturou nada no decorrer da pandemia: “Na época normal eu ganho dinheiro com show, nosso cachê é muito bom, mas na pandemia só direito autoral, e é muito pequeno porque no Brasil é uma vergonha. A gente não faturou nada e só pagou conta, mas eu vou continuar fazendo até o último dia da pandemia”, afirmou Eduardo Costa.