Fechar
EX-BBB

Eliezer desabafa e diz que se sentiu atacado por Anitta durante o ‘BBB22’

Eliezer contou sobre como se sentiu após ataques vindo de perfis verificados, incluindo Anitta

Hanna HaikaRepórter do EM OFF

Eliezer está muito feliz e voltando à rotina após o turbilhão chamado Big Brother Brasil. Neste período, o semifinalista concedeu uma entrevista ao site O Globo, onde falou sobre como foi a trajetória até a entrada no reality global, seu relacionamento com Vyni, ataques de famosos, que recebeu enquanto ainda estava confinado e mais.

Na entrevista, o empresário de 32 anos, contou que cinco anos antes de ser selecionado para fazer parte do elenco da vigésima segunda edição do programa, viu em seu mapa astral que as coisas mudariam drasticamente, e de repente estaria famoso. Mas ele não imaginava que a popularidade viria por um reality show.

“A fama nunca esteve nos meus planos. Ano passado, visitei novamente meu astrólogo e ele pediu para eu não tomar nenhuma decisão antes de 18 de julho”, contou Eli. “Desobedeci, mas o universo conspirou a meu favor. No último trimestre de 2021, quando fui avançando nas seletivas para participar do programa, decidi fazer uma nova consulta. Os astros indicaram que minha vida seria totalmente diferente em 2022”, revelou.

“Abri o jogo e ele me perguntou a data da inscrição. Não havia me ligado… Foi em 18 de julho. Minha presença no BBB estava escrita nas estrelas“, brincou o designer. As coisas, no entanto, não foram tão simples assim. Durante o processo, o empresário sofreu por causa de sua ansiedade.

Continua após a publicidade

Segundo ele, coçava o corpo inteiro a ponto de sangrar. “Acordava com o edredom ensanguentado. Precisava ver a cena”, recordou. “Mas entrei na casa sem medo de ser cancelado. Sou seguro de quem eu sou, e se tivesse algum problema teria que rever meu comportamento de uma forma geral”, pontuou.

Mas o designer não contava com as adversidades que o reality global oferece. “Chegando lá, o cenário mudou. Bateu medo de ir paredão, tive bloqueios, surgiram inseguranças, pressões do jogo. Tentei controlar esses sentimentos e seguir na brincadeira”, revelou. Eliezer ainda contou que se sentiu excluído na casa: “De algum jeito, doía não ser chamado para o VIP, não ganhar as provas, estar sempre fora do almoço do anjo, nunca estar no cinema do líder.”

Eliezer também contou um pouco sobre a relação além do jogo, que criou com Maria e Natália. “Na hora, era ótimo. Mas depois ficava tenso com a exposição. Ficava imaginando o que meu irmão de 10 iria ouvir na escola, pensava na minha avó. Não queria que cogitassem que eu poderia ser um ‘macho escroto’. Até que as pessoas não falam muito sobre o assunto quando me abordam na rua”, revelou.

Durante sua estadia na casa, a forma que o ex-brother escapava dos paredões incomodou alguns famosos aqui fora. E ele ficou surpreso com a quantidade de perfis verificados, como Giovanni Lancellotti e Anitta, que foram contra sua estadia na casa. “Eu me senti atacado. Muitos sabem muito bem como é ser alvo de pessoas e acreditava que teriam mais empatia. Não entendi a razão do ataque dessas celebridades. O que eu fiz? Elas me desmereceram, era como se eu fosse um nada”, desabafou.

O empresário contou ainda, que nunca se viu como um dos favoritos. “Para mim, eu estava fazendo hora extra”, pontuou Eli, que mantém amizade com Vyni. “Nunca existiu nada além de amizade entre a gente. Somos grandes amigos. Aliás, fui acusado de sugar o brilho de alguns participantes, me chamaram de vampiro. O que não é correto. As relações foram sempre construídas de um jeito verdadeiro”, contou.