CASO DANIELLA PEREZ

Eri Johnson detalha briga com Guilherme de Pádua antes do assassinato de Daniella Perez

Ator deu detalhes de desentendimento com assassino de Daniella Perez, antes da morte da atriz

Jean Telles
Repórter do EM OFF

O ator e apresentador Eri Johnson foi o entrevistado dessa terça-feira (26), do “Programa de Todos os Programas”, do R7. No bate-papo com Flávio Ricco e Dani Bavoso, o artista relembrou a carreira e falou sobre seus novos projetos na TV. Em determinado momento da entrevista, Eri deu detalhes sobre a relação de amizade que mantinha com a atriz Daniella Perez e revelou que já havia se desentendido com Guilherme de Pádua, antes do crime brutal que chocou o Brasil há 30 anos. 

O assunto voltou a ser repercutido após o lançamento do documentário “Pacto Brutal”, da HBO Max, que narra os acontecimentos do assassinato de Daniella Perez. O seriado conta com depoimentos de sua mãe, a autora Glória Perez e de amigos famosos, como Alexandre Frota, Fábio Assunção e Eri Jhonson que também participava da novela “De Corpo e Alma”, na época. 

Ao ser questionado sobre sua relação com Guilherme de Pádua durante as gravações do folhetim, Eri Jhonson contou que não falava com o criminoso, devido a uma briga do passado: “Eu não me dava com ele desde a peça Ali Babá e os 40 Ladrões, que ele fazia o chefe dos ladrões e eu era o Ali Babá”. O ator conta que o embate ocorreu em um dia de ensaio da peça, quando presenciou Guilherme de Pádua destratando uma atriz assistente: 

“Teve um momento que ele foi grosso com ela, foi mal educado e eu não gostei da maneira e fui lá, eu fui chateado com a falta de educação e aí nós discutimos. Eu era um cara muito mais esquentado do que sou hoje, e aí separaram e a partir dali, não falamos mais “oi”, por exemplo”, relembrou o artista.  

Relembre o caso Daniella Perez:  

A atriz Danielle Perez foi assassinada de forma brutal quando tinha 22 anos. Ela estava no ar no horário nobre da Globo, quando foi morta por seu colega de elenco Guilherme de Pádua, em 1992. Os dois faziam par romântico na novela “De Corpo e Alma”. O crime ocorrido entre as festividades do Natal e Ano Novo, chocou os brasileiros.  

O corpo da filha de Glória Perez foi encontrado abandonado, com perfurações de golpes de punhal, em um matagal na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A frieza com que Guilherme de Pádua lidou com o crime, chegando a consolar até mesmo a Glória Perez, escandalizou o país.  

Em depoimento à polícia, Guilherme de Pádua confirmou que havia se aproximado de Daniella, por ela ser filha da autora de novelas. Ele temia que seu personagem fosse reduzido na trama da Globo e vinha expressando seu descontentamento com a jovem atriz. Quando recebeu o roteiro e percebeu que havia ficado de fora de dois capítulos, imaginou que Daniella havia reclamado com a mãe e armou o assassinato brutal, junto com sua esposa, que tinha ciúmes dele com a atriz.