Fechar
Intolerância Religiosa

Ex-BBB Amanda Djehdian desabafa sobre acusação de praticar magia negra no reality

A moça deu detalhes sobre a intolerância religiosa que sofreu na 15ª temporada do Big Brother Brasil

Lucas CardosoRepórter do EM OFF

A empresária e ex-participante da 15ª temporada do Big Brother Brasil, Amanda Djehdian, concedeu uma entrevista ao canal Link Podcast e comentou um pouco mais sobre sua trajetória na casa mais vigiada do país. Num bate-papo descontraído, a moça revelou que chegou a sofrer intolerância religiosa durante sua passagem pelo reality global.

Disposta a rasgar o verbo, a empresária revelou que foi acusada tanto pelo público, quanto por colegas de confinamento, de ter feito magia negra dentro do programa. Alguns telespectadores, inclusive, disseram ter visto a moça fazendo o sinal de uma cruz invertida com as mãos. No entanto, tudo não passou de uma teoria da conspiração.

“[…] Tem gente que fala que eu fiz magias no BBB. Disseram que eu fiz uma cruz invertida com as mãos no programa. Até hoje estou querendo saber das imagens. [Só faltaram falar] que até saiu raio laser das minhas mãos, igual filme. E pronto, espalharam que fiz macumba. E vou te falar, acreditaram viu? Falam também que essa minha tatuagem é uma cruz invertida. Sei lá de onde tiraram isso”, iniciou ela.

“Segundo eles, eu só não ganhei o programa porque Deus é mais. Eu pensei, que poder é esse, né? Eu ia fazer [magia] para ganhar o programa, então né? Existe uma intolerância religiosa absurda, porque se fosse um católico ou um evangélico fazendo qualquer sinal, estava ótimo. Já eu, por ser de uma religião de matriz africana, é macumba. [Disseram que] estava fazendo magia negra, fazendo trabalho no programa”.

Continua após a publicidade

A empresária, que conquistou o segundo lugar do reality global, contou que ficou assustada quando saiu do confinamento e tomou conhecimento de todas as teorias da conspiração. Segundo ela, até mesmo os colegas de confinamento diziam que ela fazia “magias” dentro do programa.

“É umas teorias, que quando eu saí eu fiquei muito assustada. Até participantes mesmo falaram que eu fazia. Eu falo sempre isso, se eu fosse de qualquer outra religião, duvido que inventariam isso. Duvido que isso seria colocado em pauta. Tudo que eu ganhava, era por causa da “magia”, mas se eu fosse de outra religião, eles iam dizer que era por merecimento, pontuou Amanda Djehdian.