Fechar
Polêmica

Ex-BBB Marcos Harter esnoba de paciente que o acusa de agressão

O médico nega ter cometido agressões contra a professora

Nayara VieiraRepórter do EM OFF

Uma paciente acusa o ex-BBB e médico, Marcos Harter de agressão a problemas no seu pós-cirúrgico. Segundo a professora, de 37 anos, o famoso teria sido grosseiro com ela e a chamado de “burra” dentre outras ofensas. Em meio a polêmica, o cirurgião decidiu responder às acusações da mulher.

“Tenho um projeto de prótese de mama desde janeiro de 2019. Atendemos 200 pacientes por mês e operamos 80. Em 32 meses operamos duas mil mulheres. Cirurgia rápida e simples, com raríssimas complicações”, justificou o ex-BBB em conversa com a coluna de Fábia Oliveira, do jornal carioca, O Dia.

“Nosso índice de sucesso está acima de 99%. Eventualmente alguém reclama de algo e é prontamente atendido e resolvido”, argumentou Harter. Segundo ele, não houve nenhuma agressão, e a paciente deveria apresentar provas de suas acusações.

“ Mas quem não sabe reclamar será convidado a se retirar da clínica. Quanto às agressões, estou esperando ela representar. O vídeo-monitoramento da clínica fará questão de mostrar a verdade”, completou ele. A professora procurou Marcos para uma solução, mas disse ter sido humilhada.

Continua após a publicidade

Em uma entrevista para o Metrópoles, a paciente disse que guardou o dinheiro por quatro anos para conseguir realizar o sonho de colocar silicone nos seios. Ela, que pagou R$15 mil no procedimento estético, prestou uma queixa contra Marcos Harter e procurou a imprensa para falar do caso. 

Quando buscou Marcos, a professora afirmou que ele negou que tivesse algum problema com a cirurgia. Outro médico que teria avaliado o caso, disse que a prótese estava mal posicionada, e que havia um nódulo no seio da paciente. Ainda na entrevista para o veículo, ela relatou como aconteceram as supostas agressões do ex-BBB.

 “Jogou os exames na minha frente, me pegou pelo braço e me chutou do consultório. Nessa hora, resolvi filmar, mas ele arrancou o celular da minha mão. Foi me levando pra fora, até que jogou o telefone na grama. Fui chorando buscá-lo. As câmeras comprovam”, afirmou a mulher, que fez queixa na polícia.

“Fui adicionada em um grupo do WhatsApp com várias pacientes e vítimas dele. O problema é que muitas estão envergonhadas, desacreditadas de que ele um dia vá pagar pelo que fez. Mas eu vou lutar, quero uma solução para minha cirurgia e que ele pague por todas as humilhações que ele faz com mulheres”, completou a professora, alegando que mais mulheres foram injustiçadas.

Tags Relacionadas: