Fechar
Amanda Ramalho

Ex-Pânico revela que desenvolveu paralisia facial devido a ataques de haters

Amanda Ramalho desenvolveu estresse e teve suspeita de fibromialgia após mudanças no programa

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

Amanda Ramalho, de 35 anos, ganhou fama ao integrar o elenco da franquia “Pânico”. O programa de rádio da Jovem Pan, hoje também uma emissora de TV por assinatura, ganhou destaque na RedeTV! entre 2003 e 2012, e por diversos momentos brigou com a Globo pela liderança em audiência. Logo depois, foi para a Band, onde ficou no ar até 2017. Nos bastidores da atração de sucesso, no entanto, nem tudo eram flores.

Em entrevista ao Podcast “Lança a Braba” comandado por Evelynn Mackus, Bruna Braga e Andreza Delgado, a ex-Pânico disse que desenvolveu paralisia facial e teve alto nível de estresse após ataques de haters que surgiram com mudanças no formato do programa na rádio. De acordo com a jornalista, por ser de direita, apoiadores de políticos contrários a personagens como Lula e Dilma Rousseff, destilavam comentários pesados e ameaças.

“O Pânico sempre foi uma coisa teoricamente subversiva. Eles perceberam que fazer debate politico na época da Dilma [Rousseff], impeachment e a audiência subia muito então ficava muitas visualizações e era muito maior do que quando vinha um artista. Acabava vindo pessoas que eram a favor do impeachment, movimento vem pra rua e MBL e começou isso”, iniciou a famosa.

“Pela minha história é lógico que sou uma pessoa de esquerda porque estudei em escola pública então sempre teve aquela piada Amanda estuou em escola de lata sempre teve aquela piada Amanda gosta da Marta Suplicy eu falava que era a CEO da Marta, amo a Marta Suplicy, eu falava Lula é bonito. Só que essas coisas não ofendiam os ouvintes. Não da forma que como essa polarização começou eu irei inimiga mortal dos ouvintes“.

Continua após a publicidade

Amanda Ramalho afirmou que começou a receber ataques que acarretaram em fortes dores pelo corpo e a suspeita de uma doença mais grave. “Como a dianteira era direita, a única parcela mínima de esquerda era eu então eu era a primeira pessoa a receber hate. E eram hates muito pesados então logicamente eu no final, nos dois últimos anos, os meus médicos achavam que tinha fibromialgia porque eu sentia tanta dor e teve uma época que paralisou metade da minha cara”.

A jornalista relatou que médicos cogitaram derrame, mas que após sua saída do “Pânico” contrariou todas as suspeitas dos profissionais por apresentar melhora em seu quadro de saúde. “E dai acharam que era derrame e seis meses depois que saí do Pânico a dor sumiu. Era uma consequência, uma quantidade de estresse que tive como situação ali”, contou.

A ex-colega de trabalho de Emílio Surita revelou que a sua saída do programa da Jovem Pan não ocorreu de forma imediata. Devido aos problemas de saúde que estava desenvolvendo devido aos ataques de haters, ela começou a faltar ao trabalho. “No final eu faltava no programa sei lá, três vezes na semana e ia duas vezes e dormia à base de remédio. Eu não tinha vida”.

Em outubro de 2018, Amanda Ramalho teve seu pedido de demissão rejeitado por Surita, do “Pânico”, da Jovem Pan. À época, o apresentador conversou com a jornalista sobre continuar fazendo tratamento m´médico sem precisar ir ao trabalho. Ela recebeu o salário da emissora normalmente.

Amanda Ramalho (Foto: Reprodução/Instagram)

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff