Fechar

EXCLUSIVO Influenciador Gui Pagnoncelli vira réu por estelionato

Além de se tornar réu, influencer também é acusado de falsificação de laudos médicos

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

A Justiça de Alagoas tornou o influenciador digital Gui Pagnoncelli réu pelo crime de estelionato no mês passado. A denúncia foi ofertada pelo Ministério Público e corre em segredo de justiça, mas o EM OFF teve acesso com exclusividade a trechos do documento. O influencer também está sendo investigado por falsificação de laudos médicos e, recentemente, apagou sua conta no Instagram.

Na decisão do dia 3 de maio do juiz Carlos Henrique Pita Duarte, da 3º Vara Criminal de Alagoas, consta que o influenciador pode se defender da acusação. A Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) da Polícia Civil de Alagoas iniciou uma investigação em 2020, após denúncia de fraude praticadas pelo influenciador.

Além de ter se tornado réu, ao menos dois médicos questionam informações repassadas à Justiça por Gui Pagnoncelli. No documento, consta um relatório médico cuja “emissão é desconhecida do médico supostamente subscritor“, ou seja, o influenciador teria apresentado à Justiça um laudo médico que não foi reconhecido pelo profissional em questão.

O médico Glauco Moreira Leitão alegou em declaração “que não omitiu ou subscreveu relatório médico apresentado pelo agravado no processo de origem“. Além dele, a médica Patrícia Cerqueira Wanderley também alegou que prescreveu a Gui uma “dieta aberta”, mas que foi surpreendida com um documento que ela não havia entregue ao paciente após questionamentos do plano de saúde do influenciador.

Continua após a publicidade

O documento ainda aponta que “o agravado [Gui Pagnoncelli] faz uso de efetivos meios escusos, em tentativa de ludibriar o juízo , para obter o deferimento de medida liminar em seu favor, sendo capaz, até mesmo, de forjar relatórios médicos para supostamente comprovar uma necessidade e um direito que não existem“.

Entenda o caso

O caso envolvendo Gilson Wagner da Silva (mais conhecido como Gui Pagnoncelli) teve início quando o jovem foi diagnosticado com um câncer raro no estômago. Em 2017, o influencer revelou que, segundo os médicos, ele teria apenas entre seis a oito meses de vida. Sua única chance de vida, então, seria um transplante nos Estados Unidos. Os exames para saber se ele estaria apto à cirurgia, segundo ele, custariam R$ 50 mil.

O influencer criou uma vaquinha online e, em menos de 24 horas, ultrapassou a meta, arrecadando mais do que seu pedido inicial. A meta foi alterada para R$ 100 mil, que seriam usados em gastos como hospedagem e alimentação. O objetivo foi batido novamente e, mais uma vez, o valor da vaquinha foi alterado, dessa vez para R$ 350 mil, que seria, ainda segundo Gui, o valor mais recente dos exames. A meta foi alterada ainda uma quarta vez, chegando a R$ 3 milhões, que seria o valor do suposto transplante.

Em 2018, depois de arrecadar R$ 380 mil reais, no entanto, o influencer teria dito que não havia viajado pois estava com a imunidade baixa. Nessa altura, ele já havia ultrapassado o “limite” de vida estabelecido pelos médicos, mesmo assim, continuou a pedir dinheiro para o suposto transplante.

Ele deu início a um tratamento médico chamado imunoterapia e postou uma nota fiscal de compra no valor de R$ 41 mil no final de 2018. Uma nova vaquinha foi criada em 2019, e, dessa vez, o influenciador afirmava que teria gasto todo o dinheiro das primeiras doações com sessões de imunoterapia. Ele teria dito ainda que precisava de outros R$ 250 mil para continuar seu tratamento. Em 2019, ele criou outra vaquinha online pedindo R$ 50 mil.

Ainda em 2019, ele postou vídeos nos stories nos quais alegava estar perdendo a luta para o câncer e, segundo denúncias de usuários, chegou a reutilizar fotos antigas de procedimentos e internações. Em julho de 2020, ele abriu uma quinta vaquinha online, mas que foi fechada logo em seguida sem nenhuma doação. Ele chegou a fazer publicações dizendo que estava entre a vida e a morte e pediu mais dinheiro.

Ainda no ano passado, vídeos divulgados nas redes sociais mostravam o influencer viajando, comendo normal e fazendo passeios de barco. Além disso, seguidores afirmaram que ele estaria cursando sua segunda faculdade, agora de Direito. Alguns doadores se sentiram enganados e lesados e procuram a polícia para investigar o possível caso de estelionato.

No dia 3 de maio, Gui virou réu por estelionato pelo Estado de Alagoas e está sendo investigado por falsificação de laudos. O EM OFF procurou o influencer pelo telefone, mas até o fechamento desta reportagem, ele não respondeu nossos questionamentos. O espaço segue aberto.

Tags Relacionadas: