Fechar

EXCLUSIVO Ludmilla irá construir casa para família de jovem morto no Rio

A cantora Ludmilla se solidarizou com a morte do adolescente Samuel Vicente, de 17 anos, morto em operação policial no Rio

Augusto ViannaRepórter do EM OFF

No último sábado (25), o jovem Samuel Vicente, de 17 anos, foi morto durante uma ação policial no bairro de Anchieta, no Rio de Janeiro. A morte do adolescente e estudante da escola cívico-militar teve o enterro adiado por falta de verba. A cantora Ludmilla se solidarizou com o caso e se propôs a ajudar a família com o funeral. Agora, revelou que irá construir uma casa para a mãe dele.

O portal  EM OFF, Ludmilla contou com exclusividade sobre o caso e a decisão que tomou para não desamparar a família de Samuel Vicente. “Me senti muito tocada em relação a essa situação. A coisa mais triste da vida de uma mãe é enterrar um filho e essa mãe não tinha nem condições financeiras para fazer isso. É de cortar o coração. Como uma ONG acabou custeando o enterro, entrei em contato com a família e vou construir uma casa para eles porque hoje a casa deles é de madeira”, disse ela.

Como tudo começou

Ludmilla relatou no Twitter o momento em que viu a notícia sobre a morte de Samuel. “Hoje cheguei em casa na hora do jantar, a televisão estava ligada no jornal e começou a passar a história do Samuel Vicente. Eu perdi a fome e chorei com a covardia e sofrimento que a mãe desse menino está passando”, escreveu ela. 

Por falta de dinheiro, a família precisou adiar o funeral do rapaz, e Ludmilla fez questão de compartilhar na rede social que estava procurando a mãe dele. “O enterro dele já foi adiado por falta de verba e eu quero muito ajudar a mãe desse menino a dar um enterro digno pra ele. Alguém pode me ajudar a achar a família do Samuel?”, pediu ela. 

Continua após a publicidade

Segundo a mãe dele relatou ao G1, o sonho de Samuel Vicente era ser policial militar, no entanto, o objetivo foi interrompido pelo próprio serviço de segurança pública. “O sonho dele era ser militar e usar farda. Queria tanto usar farda que a farda acabou matando eles”, disse Sônia Bonfim, que também perdeu o companheiro durante a operação. 

Willian Vasconcellos, de 38 anos, pilotava a moto em que Samuel estava no momento em que foram baleados. Eles levavam a namorada do jovem para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Camily da Silva ficou ferida por conta dos tiros e foi internada no Hospital Carlos Chagas. Ela recebeu alta na última segunda-feira (27) e passa bem. 

Em nota, a Polícia Militar disse que os policiais faziam patrulhamento na região e foram atacados. A corporação afirmou ainda que, com os suspeitos, foram apreendidos duas pistolas, carregadores, munições, um conversor para submetralhadora, dois rádios e material entorpecente. A nota não deixa claro quem são os acusados. Os dois foram enterrados no início da tarde desta terça-feira (28) em Nilópolis, na Baixada Fluminense do Rio. As investigações ainda estão sendo investigadas.

Ludmilla ajuda fã que teve AVC

Não é a primeira vez que a “Rainha da Favela” se solidariza com histórias que envolvem outras pessoas. No início do ano, um fã chamado Yago Lourenço, de 22 anos,  compartilhou com os seguidores que a cantora e a mãe dela, Silvana Oliveira, estariam o ajudando no tratamento do AVC (Acidente Vascular Cerebral) que ele havia sofrido.

Com fotos ao lado da cantora, ele agradeceu. “Quero agradecer a Ludmilla por estar me ajudando junto com a mãe dela, Silvana Oliveira. Que vocês continuem sendo esse ser humano incrível e que Deus continue abençoando vocês. Só tenho a agradecê-Lo por colocar pessoas boas em minha vida”, escreveu Yago.