Fechar
indenização de R$ 25 MIL

Felipe Castanhari debocha após perder processo para Marcius Melhem

“Pelo menos eu ainda tenho um emprego”, debochou Castanhari após perder processo para Melhem

Jean TellesRepórter do EM OFF

O influenciador digital Felipe Castanhari usou suas redes sociais nessa terça-feira (21), para se pronunciar após ter perdido processo para Marcius Melhem por ter xingado o humorista nas redes sociais. A Justiça de São Paulo acatou a um pedido da defesa do youtuber que pedia uma redução no valor da indenização de R$ 100 mil para R$ 25 mil. As informações foram divulgadas pelo colunista Rogério Gentile, do UOL. 

Em suas redes sociais, Castanhari falou sobre o assunto em tom irônico: “Vou ter que pagar 25k pro Marcius Melhem Grande dia”, começou dizendo o apresentador. “Se f*deu, vai ter que trabalhar uns 3 dias pra recuperar essa grana”, brincou um amigo de Castanhari. “Bem, pelo menos eu ainda tenho um emprego né?”, debochou o youtuber fazendo referência a demissão de Marcius Melhem da Rede Globo. 

O que motivou o processo do ex-chefe de humor da Rede Globo foi uma publicação de Castanhari a respeito das acusações de assédio apresentadas pela atriz Dani Calabresa e outras funcionárias da Globo à Melhem, acusações que motivaram sua demissão da emissora dos Marinho. 

No dia 5 de dezembro de 2020, Castanhari publicou a seguinte declaração em suas redes sociais: “Não caiam nesse discursinho de merd* do Marcius Melhem. Esse cara é um criminoso, um escroto, um assediador que merece cadeia por todo sofrimento que causou”. 

Continua após a publicidade

Melhem negou a Justiça ter cometido o crime de assédio e declarou que passou a receber linchamento virtual e que o influenciador digital se baseou “exclusivamente em matérias de imprensa e presumindo como comprovado o suposto assédio”. O desembargador Jair de Souza, relator do processo declarou que Castanhari extrapolou os limites da liberdade de expressão: “Foram emitidas opiniões severas, configurando abuso no exercício da liberdade de expressão por atingir a imagem de pessoa pública”. 

O magistrado declarou ainda que os fatos que envolvem o suposto episódio de assédio ainda estão sendo investigados. No processo, Castanhari afirmou que saiu em defesa da amiga Dani Calabresa: “Não pode um amigo, conhecedor de detalhes de um trauma sofrido por sua amiga, vir a público e expressar apoio à vítima e desdém ao agressor?”, argumentou a defesa do youtuber à Justiça. 

Foi ele, por meio de condutas inadequadas e duvidosas, para se dizer o mínimo, que se colocou na situação em que está. As matérias, manifestações e comentários decorrentes da exposição do caso são apenas decorrência natural e lógica, fruto dos ânimos à flor da pele que a denúncia ocasionou”, complementou os advogados de Felipe Castanhari. 

Já a defesa do ex-diretor de humor da Globo declarou que “ofensas e calúnias não são direitos contemplados pela liberdade de expressão: “A decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou através de três desembargadores em votação unânime a decisão proferida pelo juiz de primeiro grau. A Justiça mostra assim que não se pode condenar previamente uma pessoa, usando as redes sociais como tribunais de exceção onde não há direito à defesa”. Vale lembrar que Castanhari ainda pode recorrer da decisão.