Treta!

Fernanda Paes Leme conta como ela e Giovanna Ewbank pararam de se odiar

As atrizes participaram do podcast PocCast nesta terça-feira (12).

Lucas Cardoso
Repórter do EM OFF

As atrizes Fernanda Paes Leme e Giovanna Ewbank concederam uma entrevista mega descontraída ao podcast PocCast, apresentado por Rafa Uccman e Lucas Guimarães. Abordando assuntos sobre vida amorosa e carreira profissional, as musas aproveitaram para relembrar as histórias de quando viviam uma relação de amor e ódio.

Após Giovanna Ewbank contar que impediu que Fernanda Paes Leme fosse a madrinha de casamento de Bruno Gagliasso, Fernanda também relembrou que, durante um bom tempo, as duas foram vizinhas “porta-com-porta”, pois moravam no mesmo prédio e no mesmo andar. “O Bruno estava morando na minha casa, e quando o apartamento da frente ficou vago, ele alugou e Giovanna foi junto”, contou Paes Leme.

Ewbank contou que o ranço entre as duas era tão grande, que mesmo se esberrando no mesmo corredor e pegando o mesmo elevador, as duas se ignoravam. “Era porta com porta, então às vezes ela saía, eu também saía, e a gente não se falava. A gente pegava o mesmo elevador e descia sem se falar. Cena de filme, gente. Era surreal de ridículo, gente”, contou Ewbank arrancando uma gargalhada dos apresentadores.

No entanto, a relação conturbada entre as atrizes começou a mudar quando Giovanna Ewbank precisou muito de uma ajudinha de Fernanda Paes Leme. Eu tinha um teste muito importante para uma novela na Rede Globo, e o Bruno tinha saído com meu carro. Era uma sexta-feira de trânsito, eu já estava em cima da hora. Não existia Uber na época, e não consegui taxi”, começou Ewbank.

“E aí, a assessora dela [Ewbank] que era muito minha amiga, me ligou e explicou a história da Giovanna. E eu estava com um curta no centro do Rio, e falei que se ela [Ewbank] quisesse eu daria uma carona até o Projac. E aí a assessora ficou chocada: ‘sério que você faria isso?’, porque a gente se dava muito mal, todo mundo sabia. Tinham coisas horrorosas que a gente falava, picuinhas, falava mal do nariz, fofocas, e tal”, complementou Paes Leme.

Fernanda também relembrou que Giovanna precisar de sua ajuda foi o fim da picada para a atriz. “Gente, eu ouvia o grito da Giovanna de dentro da minha casa gritando: ‘NÃO!!!!’ [sobre ter que precisar da ajuda de Fernanda], e eu plena. A assessora convenceu ela, e fomos. Quando encontrei ela no corredor, eu falei: ‘melhor você ir lavar esse rosto, senão não vai passar em teste nenhum’. E aí ela foi, porque estava com cara de choro. […] E foi aí que nós começamos a se dar bem”, contou.