Fechar

EXCLUSIVO Filhas de Gugu estariam sendo manipuladas pela mãe, aponta processo

Sofia e Marina Liberato querem ter acesso antecipado à herança bilionária deixada pelo apresentador

Erlan BastosColunista do EM OFF

A novela envolvendo a herança bilionária do apresentador Gugu Liberato ganhou novos desdobramentos. Depois de Sofia e Marina, filhas do apresentador e de Rose Miriam di Matteo, acusarem a tia, Aparecida Liberato, de esconder bens deixados pelo famoso, uma decisão do juiz responsável pelo processo de partilha aponta que as duas estariam sendo manipuladas pela mãe.

No dia 9 de outubro, o EM OFF publicou com exclusividade que as filhas gêmeas de Gugu Liberato acusaram a tia de esconder imóveis e contas bancárias do ex-apresentador do plano de partilha. Elas apontam que a tia está agindo de má-fé, ocultando propositalmente parte dos bens deixados pelo pai. Além disso, dizem que a irmã de Gugu não possui capacidade para continuar administrando os bens do espólio.

Agora, um novo capítulo da história veio à tona. Segundo a decisão do juiz responsável pelo caso, Sofia e Marina estariam sendo manipuladas pela mãe, Rose Miriam, para que possam ter acesso “antecipado” a parte da herança. O texto da decisão, ao qual o EM OFF teve acesso, aponta que as gêmeas não teriam “conhecimentos” para gerir os bens por conta própria.

A antecipação de quinhão hereditário às herdeiras, antes da partilha, neste momento, em virtude da emancipação havida, esta realizada por suposto interesse da genitora, iria contra a vontade do testador, eis que, certamente, o patrimônio será administrado por aquela, por não terem as adolescentes, com 17 anos, experiência e conhecimentos necessários a gerir tamanha fortuna. Vê-se claramente a influência da genitora na vontade das filhas“, diz trecho do documento.

Continua após a publicidade

As gêmeas foram emancipadas em julho deste ano. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o motivo da emancipação seria pelo fato das meninas estarem insatisfeitas com a falta de informações sobre a administração dos bens e o processo de inventário, conduzido pela irmã do comunicador, Aparecida Liberato, a pedido do próprio Gugu, em testamento.

Decisão

Ainda na sua decisão, o juiz ressalta que Aparecida Liberato vai seguir como a responsável por cuidar do espólio deixado pelo famoso. “Antes de partilhada a herança, continuará a inventariante e testamenteira, reitere-se, pessoa de sua inteira confiança, na administração de todo o monte mor“. Entre empresas, imóveis e veículos, a fortuna de Gugu é estimada em cerca de R$ 1 bilhão.

A decisão ainda aponta que Rose Miriam também é responsável pelo pagamento de eventuais despesas de Sofia e Marina. Atualmente, todas são custeadas pelo espólio do apresentador. “Se trata de pessoa jovem, com formação superior, médica, proprietária de mansão, em Alphaville, doada pelo falecido, imóvel este que certamente lhe rende frutos, além de receber do espólio a quantia mensal correspondente a U$$ 10.000,00 (dez mil dólares)“.

O texto também nega que Aparecida Liberato esteja negando pagamentos às sobrinhas, como planos de saúde, por exemplo, e bens solicitados por elas. “Todas as suas despesas mensais estão sendo pagas pela inventariante“. O documento também prevê que, caso Sofia e Marina queiram ingressar em faculdades nos Estados Unidos, como já demonstraram interesse, que a tia “promova os necessários pagamentos“.

Na petição do dia 9, a defesa das filhas de Gugu aponta que “foi possível constatar a existência de diversos outros bens deixados por Gugu no exterior, que de forma absurda e claramente estão sendo ocultados pela inventariante“. A decisão atual, no entanto, ressalta que bens no exterior não serão inventariados. Assim, o juiz não aceitou a reclamação por parte das herdeiras. (Colaborou Danilo Reenlsober)

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff