Fechar
Homofobia

Gil do Vigor se revolta com falta de punição de conselheiro do Sport Club

Gil do Vigor se diz abalado com o ataque que recebeu do conselheiro Flávio Koury e com a não punição do profissional do Sport

Aline TorresRepórter do EM OFF

Gil do Vigor demonstrou todo o seu descontentamento com o Sport Club do Recife sobre não punir o conselheiro Flávio Koury, após uma série de declarações homofóbicas. Ele se livrou até mesmo de uma advertência depois de uma decisão do Conselho Deliberativo do time pernambucano. Em entrevista para o G1 sobre a decisão, o ex-BBB21 não quis se prolongar sobre o assunto:

“Eu não quero me estender nesse assunto, é um assunto que me machuca, me deixa mal, tô muito abalado ainda. Infelizmente eu fico triste pelo fato de ver que a homofobia continua sendo naturalizada e mesmo com o apoio da torcida gente”, começou o doutorando em economia, que aproveitou ainda para agradecer a torcida do Sport Club:

“Eu sou tão grato, obrigado torcida do Sport, jogadores, mas infelizmente, não sei se é o mesmo apoio em todas as instâncias. As pessoas precisam aprender. Eu não vou me estender, não vou falar muito, porque me machuca muito, quem me conhece sabe de toda a minha história e porque isso é tão doloroso pra mim”, finalizou Gil do Vigor.

Os ataques sofridos pelo economista aconteceram após uma visita dele à Ilha do Retiro em maio desse ano, depois da alta popularidade de Gil ao participar do Big Brother Brasil 21. Flávio Koury falou que, após a ida de Gil ao estádio, o time seria considerado um “time de viado”, em um áudio vazado enviado pelo WhatsApp naquela época.

Continua após a publicidade

“1,2 milhões de visualizações. Arretado. 1,2 milhões de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem puto, só tem galinha, só tem bicha. É bom, muito bom, um marketing arretado. Vai vender a camisa, rapaz. A viadagem todinha vai comprar, vai ser lindo”, disse o conselheiro do time recifense. Torcedores pediram a punição do integrante do Conselho deliberativo, mas a decisão saiu após seis meses.

Mesmo tendo sugerido anteriormente uma advertência por escrito, o Conselho Deliberativo decidiu pela não punição de Koury após reunião. Segundo o G1, o diretor de diversidade do Sport Club, Gabriel Augusto, tentou acompanhar a reunião, mas foi expulso do local pelo presidente do Conselho, Pedro Lacerda, e outros conselheiros.

Gabriel se pronunciou sobre o caso ainda para o site: “Foi uma decisão que reforça um padrão de exclusão de um conjunto de torcedores e torcedoras que estão representados nesse escudo. Atrás desse escudo, batem muitos corações, inclusive de pessoas LGBT que merecem, da nossa parte, todo o respeito”, disse o diretor de diversidade.

Pedro Lacerda afirmou em vídeo que o motivo para que Gabriel não participasse da reunião é porque era um encontro de caráter sigiloso: “a reunião tinha um caráter sigiloso, tendo em vista a matéria a ser votada, essa questão ética e disciplinar”, disse. A presidência executiva do time pernambucano também se pronunciou e disse não concordar com a decisão do Conselho:

“Condenamos todas as ações contra Gil e fazemos questão de reforçar nossa posição sobre o assunto. Divergimos da decisão da maioria do Conselho Deliberativo sobre este tema, mas reconhecemos que tem total soberania sobre suas decisões, como rege o estatuto”, disse trecho da nota publicada nas redes sociais.

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff