Fechar
SINCERÃO

Gusttavo Lima critica ‘geração mimimi’: ‘Não posso ser eu mesmo’

Em entrevista a Leo Dias, o cantor sertanejo falou sobre as lives que realizou na pandemia

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

O cantor sertanejo Gusttavo Lima abriu o jogo e falou sobre a carreira, as lives realizadas durante a pandemia de Covid-19 e perdas familiares, que quase o afastaram da carreira musical. Ele criticou também os haters da internet e a famosa “geração mimimi” que, segundo ele, o atacaram devido às apresentações online que realizou durante os últimos meses.

O famoso deu uma entrevista ao colunista Leo Dias, do portal Metrópoles, e comentou que as primeiras lives eram caseiras, e nessas apresentações ele era mais livre para ser como é no dia-a-dia. Com a “profissionalização” das apresentações, patrocinadas por grandes marcas, deixou de ser algo mais pessoal e se tornou algo “engessado”.

O sertanejo criticou a “geração mimimi”, dizendo que muitas pessoas o atacaram por beber ou falar palavrões durante essas lives. “As lives maiores, mais profissionais, ajudaram a manter as nossas equipes com patrocínios, mas com a geração mimimi, não podia ser eu mesmo. Aprendi que só devo satisfação às pessoas que gostam de mim, que assistem aos shows“.

Mesmo assim, Gusttavo Lima disse que nunca mudou. “Não mudei [a maneira de fazer as apresentações]. Nunca gostei dessa coisa mais engessadas, profissionais, mas tenho contas pra pagar“, brincou. “Ninguém que te critica está na sua pele“, ressaltou.

Continua após a publicidade

O cantor reforçou que deixará de fazer lives e que agora é hora de “voltar ao trabalho de verdade”. “Tudo tem um começo, meio e fim, então, foi maravilhoso [fazer as lives], agora é hora de voltar o trabalho de verdade. Acho que até o fim do ano, começo do ano que vem, a gente já consegue fazer show, então agora é hora de voltar [a gravar], esquecer o que a gente tá vivendo“.

Perdas familiares

No bate-papo, Gusttavo Lima disse ainda que quase abandonou a carreira musical em 2015, após perder a irmã Luciana dos Reis Lima, de 26 anos, que morreu após um infarto. “Não consegui ir ao velório da minha irmã porque eu tinha show, tinha compromisso, aquilo foi a gota d’água. Minha cabeça ficou a mil“, disse. “Pensei: ‘não adianta ter dinheiro se não puder aproveitar minha família‘”, reforçou.

No mesmo ano, o cantor sertanejo também perdeu a mãe, Sebastiana Maria de Lima, de 66 anos, que sofria de problemas no coração. “Estava disposto a abandonar tudo, fiquei com uma culpa gigantesca. Foi porrada atrás de porrada“.