Fechar
e Motorista

Humorista coloca culpa na bebida por esbanjar dinheiro com mordomo

O humorista Gustavo Medes afirmou em entrevista que bebia demais e que nessa época chegou a ter motorista e mordomo

Aline TorresRepórter do EM OFF

Gustavo Mendes fez carreira no humor imitando a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na tela da TV Globo e Band. Em entrevista para o podcast “Mais que 8 minutos”, comandado por Rafinha Bastos, o humorista deu detalhes de sua vida privada e fez revelações surpreendentes sobre o que ele fazia com o tanto de dinheiro que ganhou quando trabalhou nas duas emissoras.

“Eu já ganhei dinheiro, muito dinheiro. Mas eu gastei pra caralh*”, disse o comediante que foi interrompido por Rafinha: “O Gustavo Mendes, quando ele fazia o ‘Agora é Tarde’, ganhava um bom salário, maravilhoso, excelente salário. Mas tinha um Audi A3. Pra quê? Por quê? Porque ele não dirige. Ele tinha um motorista que ficava a disposição dele 24 horas por dia”, entregou o apresentador.

Gustavo confirmou que não sabe dirigir enquanto Rafinha continuava a entregá-lo: “Ele saia de casa uma vez por semana”, em seguida, o ex-CQC disse que o colega também havia contratado um mordomo. Foi quando o intérprete da versão cômica de Dilma Rousseff admitiu que na época em que contratou os funcionários, estava bebendo demais:

“Eu tava muito louco, eu bebi demais cara. Hoje eu olho pra trás, eu tenho vergonha. Eu tenho vergonha”, confessou o humorista. Rafinha começou a contar mais uma história do colega, de quando trabalhavam juntos e ao passar o roteiro e terminar a maquiagem, Gustavo surpreendeu os colegas de profissão: “Chegava o Gustavo Mendes com um roupão com o nome dele atrás”, disse o apresentador.

Continua após a publicidade

O entrevistado logo diz que esse foi o dia que ele mais chorou no banho porque Rafinha arrancou o roupão com o nome dele e rasgou inteiro gritando “Para com isso, você tem um roupão com o seu nome, isso é ridículo”, teria dito o ex-CQC na ocasião. “Eu chorei muito no banho depois disso e depois trouxe outro [roupão]”, acrescentou Gustavo dando gargalhadas.

Em seguida, o humorista deu continuidade à conversa:“Os meus ídolos sempre foram os ídolos da TV, eu sempre quis viver aquele ambiente de TV. Então eu fui uma criança que não usava chinelo porque eu nunca vi o Gugu [Liberato] de chinelo, eu nunca vi o Faustão de chinelo”, relatou ainda Gustavo que foi interrompido por uma piada de gosto duvidoso sobre a morte de Gugu:

“A única vez que Gugu usou chinelo, ele resolveu subir no telhado e escorregou, foi a única vez que ele usou chinelo. Tá errado, tá muito errado. Se você voltar, não usa chinelo”, disparou o humorista que foi seguido de risadas do colega entrevistado. Em seguida, Gustavo deu continuidade à conversa e passou a falar sobre diferenças entre Globo e Band.

Ele relatou que quando ia fazer algum trabalho externo pela emissora da família Marinho, recebia roupão com seu nome além de ter um ônibus só para ele e outro para os figurantes, serviços que esperava, já que imaginava que trabalhar em TV era glamouroso. Já passando pela Band, o comediante contou que era perseguido por usuários de crack nas ruas. Veja o vídeo a seguir com trecho da entrevista de Gustavo Mendes: