Fechar
Investigado

Jogador é acusado de lavagem de dinheiro em operação da PF

O Jogador Diego Costa está sendo investigado por ser supostamente um dos patrocinadores de um esquema fraudulento em um site de apostas

Aline TorresRepórter do EM OFF

O jogador de futebol, Diego Costa, de 32 anos, está sendo investigado em uma operação da Polícia Federal de Sergipe, que analisa uma “suposta prática de exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa envolvendo o site de apostas ESPORTENET, seus proprietários, operadores financeiros e financiador”.

Segundo o Globo Esporte, as investigações apontam o jogador como um dos supostos financiadores do esquema, junto com doleiros. A operação também está em curso em outros estados onde também haja pessoas envolvidas com o esquema. A polícia emitiu uma nota informando sobre valores aprendidos:

“Na primeira fase da operação, deflagrada em 03/03/2021, foram apreendidos documentos e equipamentos eletrônicos que permitiram o aprofundamento da investigação e a quantia de R$ 13.129.217,00 em espécie”, diz um dos trechos do comunicado divulgado pela autarquia que ainda investiga a quantia que foi enviada para fora do país, configurando supostamente, evasão de divisas.

Além disso, foi constatada a participação de doleiros que auxiliam a organização criminosa no processo de evasão de divisas, bem como a participação de um jogador de futebol que, supostamente, é o financiador do esquema criminoso“, diz ainda a nota que deu detalhes sobre a operação deflagrada.

Continua após a publicidade

Diego está atualmente jogando como atacante no Atlético-MG. Procurado, o clube afirma que não está sabendo do caso e que está aguardando deliberações do assunto para se informar melhor e se pronunciar sobre os fatos em questão. O jogador também foi procurado e até o momento não se pronunciou.

Sete mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Vara Federal de Itabaiana, interior de Sergipe, na tentativa de que as investigações da “Operação Distração”, como foi denominada, tomem andamento. Um desses mandatos foi na cidade de Diego Costa, Lagarto, além de mais duas cidades do interior sergipano.

Também houve mandados de busca e apreensão em Salvador, capital baiano e São Paulo. Dois doleiros suspeitos de envolvimento no esquema também foram contemplados com os mandados. Na nota apresentada pela polícia, a informação é de que a operação já está na segunda fase: “Nesta fase, a investigação está concentrada no processo de evasão de divisas, com foco nos doleiros e no financiador do site de apostas“.