Fechar
Juiz decidiu

Júlio Cocielo se livra de multa milionária por comentário racista conta Mbappé

Júlio Cocielo não precisará pagar indenização de R$ 7,5 milhões por postagens racistas no Twitter

Aline TorresRepórter do EM OFF

Júlio Cocielo se livrou de pagar uma bolada no valor de R$ 7,5 milhões (R$ 7.489.933,00) em indenização de uma ação civil pública por uma postagem racista feita por ele contra o jogador francês do PSG Mbappé. Na ocasião ele postou no Twitter: “conseguiria fazer uns arrastão top na praia, hein”.

O processo foi movido pelo Ministério Publico durante a Copa do Mundo de 2018. A postagem foi feita pelo youtuber durante um jogo da seleção francesa, em que o jogador é o atacante principal e artilheiro, sendo um dos responsáveis pelo titulo de campeão do mundo.

Na época, a postagem gerou diversas criticas que levaram o influenciador a deletar até mesmo posts antigos, mais de 50 mil, considerados racistas para evitar o cancelamento digital.

O MP fez um levantamento de posts do youtuber que foram considerados fatores que poderiam perpetuar o esteriótipos racistas. Segundo o jornal Extra, o juiz responsável pela ação alegou que as piadas possuíam contextos indefinidos, interpretando que Cocielo zombou de esteriótipos e não foi racista.

Continua após a publicidade

Em uma outra postagem feita anteriormente pelo influencer, ele escreveu: “gritei VAI MACACA pela janela e a vizinha negra bateu no portão de casa pra me dar bronca”. O juiz entendeu que há uma denúncia de esteriótipos por parte de Cocielo.

“Veja-se que este post se deu, segundo o autor, no dia do jogo da Copa Sul-Americana de futebol masculino entre a Ponte Preta e o Lanús e todos sabem que a Ponte Preta é conhecida como ‘macaca’. Procurou o requerido associar os negros a macacos, ou quis denunciar, em tom de humor, o estereótipo existente?”, relatou o magistrado.

O youtuber fez outras postagens consideradas racistas como “o Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas, mas já que é proibido, a única solução é exterminar os negros”, no entanto, o juiz minimizou o caso dizendo:

“Há aqui uma defesa do extermínio dos negros ou uma crítica ao discurso politicamente correto, identificado como a ‘frescura com piadas racistas?'”, disse nos autos do processo. Ainda segundo o magistrado sobre o comentário acerca de Mbappé, afirmou:

“A associação que o requerido faria de negros a ladrões estaria presente no post já mencionado, que deu origem à presente demanda, onde, também, há de se perguntar: o comentário sobre o jogador da seleção francesa se deveu à cor da sua pele ou à sua velocidade?”

“Notamos, pois, que, ao se verificarem os posts, por si só, já se tem uma dubiedade, uma ambiguidade que exige que se tenha, pois, o contexto em que foram produzidos e em que consiste a atividade profissional do requerido”, finalizou o juiz na decisão.