Vídeo

Karol Conká é vítima de racismo e revela sofrimento

A rapper abriu o coração sobre seu passado, em que falou da infância, quando enfrentou o preconceito e racismo

Nayara Vieira
Repórter do EM OFF

A cantora e ex-BBB, Karol Conká participou do podcast PodDarPrado, apresentado por Gabi Prado, no Youtube. No programa, a rapper abriu o coração sobre seu passado, em que falou da infância, quando enfrentou o preconceito e racismo, e da relação que tinha com o pai, que ela perdeu na adolescência. Ainda no bate-papo, a influenciadora chegou a se emocionar com o relato de Conká.

Questionada sobre como foi sua trajetória na escola e se tinha amigos,ela contou que não tinha muitos amigos e era muito atacada. “Por ser negrinha. Só por ser negrinha eles se incomodavam, jogavam papel. E eu era muito dócil até 14 anos, depois não consegui mais. Essa doçura só vem só com uma coisa mais íntima”, revelou. Por causa do bullying sofrido, Karol disse que se tornou uma pessoa mais dura.

“Mas graças a esses meninos eu consegui ser mais rajadão, então até agradeço, sabe. Porque comecei a me defender sozinha, não andava em galera”, relatou. Karol ainda contou o que os meninos faziam com ela: “Chutavam, ameaçavam, puxavam cabelo, cortavam trança, muitas coisas”. Ela destacou que a diretoria não fazia nada para a ajudar e que foi “convidada a se retirar” de duas escolas.

A famosa, que foi cancelada no BBB21, ainda falou do relacionamento que tinha com o pai, que era alcoólatra. “Aí você disse que até os seus 14 anos você era mais doce. O que deu esse start além desse bullying e racismo?”, perguntou Gabi. “A morte do meu pai. Eu fiquei ‘Meu Deus, ele morreu’. Parecia que tinha ido um pedaço de mim”, contou.