Fechar
POLÊMICA!

Léo Santana diz que empresários menosprezam artistas da Bahia

Músico fez uma crítica a falta de investimento dos empresários com cantores baianos

Jean TellesRepórter do EM OFF

O cantor Léo Santana foi o entrevistado dessa quarta-feira (8), do podcast, Podpah. No bate papo com os influenciadores Igor Cavalari (Igão) e Thiago Marques (Mítico), o músico relembrou seus mais de 20 anos de carreira e seu início na banda “Parangolé”. Em determinado momento do bate-papo, o marido de Lorena Improta fez um alerta importante, sobre a falta de investimento dos empresários, com artistas baianos. 

Léo Santana iniciou o assunto, após um fã perguntar qual era o sentimento do cantor, ao ter a consciência de que é um artista que faz sucesso a nível nacional, cantando um ritmo regional. O músico contou que é raro achar empresários que queiram investir em bandas que cantam o pagode baiano. 

Logo em seguida, o artista citou cantores oriundos da Bahia que iniciaram carreira antes dele, e que cantam ritmos característicos da região, como: Ivete Sangalo, Tony Sales e as bandas Psirico, Harmonia do Samba e É o Tchn. Após isso, Léo Santana fez uma pergunta aos apresentadores do podcast Podpah: 

“Qual é o outro artista depois de mim da Bahia que vocês viram acontecer?”, Igão e Mítico respondem que, a nível nacional, não conheciam nenhum e o cantor seguiu com seu raciocínio: “As pessoas não querem botar dinheiro na parada, porque talento tem!”, Igão concordou, declarando que sem investimento, fica muito difícil um artista despontar a nível nacional e foi então que o cantor iniciou sua crítica aos empresários de música no Brasil:

Continua após a publicidade

“E os que têm não querem pôr! Preferem colocar no sertanejo, até nos moleques do funk mesmo, prefere botar no pop, na mulher bonita que canta bem e tem um corpo legal e vende imagem. Então, eu fico triste porque deveria ter cara! Bahia tinha uma sequência, se você botar um festival baiano em qualquer lugar do país, era ingresso de nível esgotado!”, opinou Léo Santana. 

O artista finalizou o assunto declarando que vê todos os dias se destacando cantores de diferentes regiões do país e fica se perguntando porque os empresários não olham também, para a Bahia: “Não falo aqui com desrespeito ou menosprezando, é porque me incomoda mesmo! Eu queria que tivesse mais! Mais para a Bahia e para o gênero musical da Bahia”, declarou o músico. 

“Ainda acredito que vá aparecer outros abençoados aí que os empresários também vão acreditar, mas é difícil do “pagodão” você reverberar para o Brasil, nossa senhora! Mas tudo que tem um sacrifício, quando você supera, é prazeroso pra caramba. Vale a pena!”, finalizou Léo Santana em seu desabafo.