ExclusivoLeonardo Gonçalves responde críticas após se apresentar em igreja LGBT+

Em entrevista exclusiva, cantor gospel revelou que seu discurso viralizado durante a apresentação "foi tirado de contexto"

Jean Telles
Repórter do EM OFF

O cantor gospel Leonardo Gonçalves, um dos maiores artistas do segmento no Brasil, viu seu nome ser envolvido em uma polêmica recentemente. Tudo começou após o intérprete das canções de sucesso “Getsemani” e “Acredito”, se apresentar na igreja apostólica inclusiva para o público LGBTQIAP+, “Cidade do Refúgio”. Em trechos de vídeos de sua apresentação musical que viralizaram nas redes sociais, o músico declara aos fies presentes, que “não representava o povo evangélico”

“Parece que vocês estão me agradecendo porque eu vou receber críticas por estar aqui, mas o que eu, entre 1 bilhão de aspas, sofro por estar aqui, não chega a 1% da maneira que vocês foram tratados e têm sido tratados. Eu não represento o povo evangélico!”, disse o cantor gospel, em trechos de sua apresentação musical que circulam na internet. 

Após as imagens tomarem as redes sociais, o cantor Leonardo Gonçalves foi alvo de críticas de alguns evangélicos, que reprovaram sua ida a uma igreja voltada ao público LBTQIAP+. A fala sobre não representar os protestantes, também foi duramente criticada por cristãos, que divulgaram demasiadamente vídeos de sua apresentação musical em grupos de WhatsApp e perfis nas redes sociais. 

Em entrevista exclusiva ao portal EM OFF, Leonardo Gonçalves declarou que seu discurso dado internamente na instituição religiosa inclusiva, foi tirado de contexto e que sua fala sobre não representar os evangélicos, comunicava justamente a respeito daqueles cristãos, que não concordavam com sua postura de estar presente naquele lugar. 

“A edição que foi feita é completamente absurda! Ela isola frases minhas e tira completamente de contexto o que eu estava dizendo”, iniciou explicando o artista gospel, que fez questão de destacar que seu discurso foi pontuado para os participantes presentes na igreja e não um recado voltado a todos os cristãos: “Eu não tenho responsabilidade sobre as edições mal intencionadas que fazem sobre falas minhas”, pontuou ele.

Leonardo Gonçalves seguiu dizendo que uma das maiores reclamações que tem percebido nas redes sociais após o vídeo viralizado, é justamente a respeito de sua fala de não representar os evangélicos. Na entrevista, o cantor explicou o que quis dizer com a citação: “Isso foi uma frase respeitosa para os evangélicos que não se sentem representados por mim”, declarou.  

E prosseguiu explicando “Eu não represento os evangélicos porque não quero representá-los, eu não represento, porque ao pedir perdão para a comunidade LGBT+, pela maneira como nós evangélicos de maneira geral temos tratado essas pessoas, quando eu peço perdão eu não posso falar em nome de todos os evangélicos, porque muitos evangélicos não concordam que o tratamento tenha sido errado”. 

O músico seguiu seu raciocínio declarando que vê certa dificuldade de alguns protestantes compreenderem que ele dizer que não os representa, é na verdade um ato de respeito para aqueles que discordam de sua postura. Leonardo Gonçalves fez questão de destacar também, que entende perfeitamente que não o compreenda e que sempre deu espaço as críticas: 

“Eu compreendo quem não me compreende, eu aceito quem não me aceita. Porque existe essa possibilidade do pensamento plural, mesmo dentro do campo evangélico, ou deveria existir, pelo menos!”. Por fim, o músico contou que consegue perceber certo viés político nos ataques que anda recebendo, lembrando que estamos em ano de eleições presidenciais. 

É sabido que Leonardo Gonçalves faz oposição ao governo de Jair Bolsonaro, que carrega em boa parte de seu eleitorado, justamente os eleitores considerados evangélicos. Devido a isso, o músico entende que muitos dos ataques que recebe, se oriunda de sua posição contrária ao atual governo: “Não posso deixar de politizar dentro deste contexto de ano de eleição”, refletiu o artista.