Fechar
Treta judicial

Ministério Público denuncia Latino por intolerância religiosa

Cantor falou em entrevista que fizeram "trabalho de macumba" para ele e que seu macaco acabou morrendo no seu lugar

Aline TorresRepórter do EM OFF

O deputado estadual Átila Nunes (MDB- RJ) abriu uma denúncia no Ministério Público por intolerância religiosa contra o cantor Latino após uma entrevista do artista ao podcast Flow na última quarta-feira (14). O cantor afirmou que o seu macaco Twelves morreu atropelado após um “trabalho de macumba” feito contra ele.

” Pedirei à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Segurança (DECRADI) que abra um inquérito e convoque o cantor para confirmar suas declarações preconceituosas no podcast Flow. Latino mostrou seu lado intolerante no aspecto religioso e deve responder pelas ofensas aos praticantes da Umbanda e do Candomblé, que não têm qualquer culpa pela decadência da carreira dele”, disse o deputado em comunicado.

Na entrevista para o podcast, Latino afirma que uma médium e um profeta disseram-lhe que fizeram um trabalho de macumba para ele e que o macaco acabou morrendo no lugar dele: “Dizem que foi macumba, né. Os caras falaram que foi macumba. Fizeram um trabalho pra mim e que o macaco foi no meu lugar. Quem conhece o mundo espiritual pode dizer melhor”, disse o cantor,

“Nessa parada de centro espírita, nesse bagulho de macumba, os caras fazem trabalhos pesados pra infernizar a vida do outro. E aí fizeram um trabalho, sei lá, de ebó… Sei lá que porra que chama essa merda de ‘macumbaria’. Eu não acredito nessa porra. Ficar falando da vida alheia. A gente vê muito no meio artístico”, disse ainda ao se referir às religiões de cunho espírita.