Fechar
EXPLORAÇÃO SEXUAL

Modelo Núbia Óliiver é investigada em crime de tráfico de mulheres

Além de Núbia, a funkeira MC Mirella também foi investigada, mas a polícia apontou que ela foi vítima dos criminosos

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

A modelo Núbia Óliiver é investigada pela Polícia Federal como aliciadora num esquema internacional de tráfico de mulheres e exploração sexual. Segundo a PF, o empresário Rodrigo Cotait era responsável por escolher jovens do Brasil e enviá-las para outros países para atuarem como “escravas sexuais”.

De acordo com as investigações, Núbia seria uma das responsáveis por convencer e estimular garotas, por meio de promessas ou favores financeiros, a participar do esquema. Em mensagens obtidas pelos investigadores, ela envia fotos sensuais de outras mulheres ao agenciador e combina um programa sexual com uma delas em troca de uma comissão de mil reais.

O caso foi revelado pela reportagem do SBT News na última sexta-feira (30) e mostrado também no Fantástico, da Globo, neste domingo (02). Mais de 100 brasileiras foram exploradas, segundo a investigação. As meninas eram abordadas pelas redes sociais ou através de uma empresa de maquiagem que ele dizia ser dono. Até menores de idade já foram negociadas por Rodrigo.

Eu exporto mulher para tanto país: Estados Unidos, Oriente Médio, Austrália, Singapura, China, Nova Zelândia, Europa, Bolívia“, conta Cotait em um áudio obtido pela polícia. “Só mando viajar produto de exportação que tem meu selo de qualidade“, ressalta.

Continua após a publicidade

As mulheres eram negociadas como mercadoria e, uma vez que chegassem no destino, eram submetidas ao que chamam de “escravidão sexual”. Uma das vítimas disse ter sido coagida a manter relações com mais de dez homens por dia. Também há relatos de mulheres que tiveram dificuldade para retornar ao Brasil.

Além de Núbia Oliiver, outro nome famoso foi citado na reportagem, mas como vítima: a funkeira MC Mirella. Em 2019, a cantora foi acusada de aliciar uma adolescente de 17 anos e oferecer R$ 5 mil para que a garota se encontrasse com Wissam Nassar, dos principais alvos da investigação por explorar sexualmente menores de idade, agenciadas por Rodrigo a pedido dele.

De acordo com o SBT News, a funkeira chegou a ser investigada pelo MPF (Ministério Público Federal), mas a investigação revelou que, na verdade, ela foi vítima da quadrilha quando era adolescente. O próprio Rodrigo admite, nas comunicações interceptadas, ter aliciado a cantora quando ela tinha 16 anos.

Em nota, a defesa de Núbia disse que não iria comentar o caso já que “os autos tramitam em sigilo”. “A defesa técnica da Sra. Nubia Cassia Ferreira de Oliveira, irá respeitá-lo, ou seja, não nos manifestaremos sobre a investigação Policial Federal“. Já a defesa de MC Mirella reforçou que a funkeira foi ouvida apenas como vítima, portanto, “não há o que falar de defesa“.