Fechar
Decisão surpreendente

Murilo Huff toma decisão repentina na divisão dos bens de Marília Mendonça

Murilo Huff optou por não se envolver na tutela dos bens de Marília Mendonça. Quem deverá cuidar da quantia milionária deve ser Dona Ruth

Aline TorresRepórter do EM OFF

Após quase três meses da morte de Marília Mendonça em um acidente aéreo, começou a partilha milionária dos bens da cantora. Segundo informações dadas por fontes do colunista do portal Metrópoles, Leo Dias, Murilo Huff, ex-namorado da cantora e pai de Leo, decidiu que abriria mão da tutela dos bens deixados pela artista.

Por causa da decisão do compositor, os bens de Marília ficarão sob a responsabilidade da mãe da cantora, Dona Ruth. O colunista ainda afirmou que o valor antes noticiado de R$ 500 milhões, que seria o patrimonio da artista, na verdade, não condiz com a realidade. A assessoria de imprensa e jurídica de Marília foram procuradas, mas não confirmaram as informações passadas por Leo Dias.

Marília Mendonça e Murilo Huff começaram a se relacionar em 2019 e na quele mesmo ano, a cantora ficou grávida do pequeno Leo Mendonça Huff que hoje está com dois anos, completados logo após o falecimento da mãe. Entre algumas indas e vindas, o ex-casal decidiu pela separação definitiva em setembro de 2021. No dia da morte da artista, ela já estava namorando outro homem, o cantor Matheuzinho.

Murilo Huff decidiu que a guarda do pequeno Leo ficaria dividida entre ele que é o pai, e entre a avó materna, Dona Ruth. Os dois cuidarão da criação da criança que acabou perdendo a mãe de forma trágica antes de completar dois anos. Recentemente, o menino, herdeiro natural da mãe, ganhou uma festa de aniversário para comemorar os dois aninhos junto com os familiares.

Continua após a publicidade

Morte de Marília Mendonça

No dia 5 de novembro, Marília Mendonça faria o seu segundo show em Caratinga. O voo estava previsto para aterrissar por volta das 15 horas, mas a cerca de quatro quilômetros do aeroporto, o avião bateu em fios de uma torre de energia elétrica e caiu em uma cachoeira da localidade, matando todos os cinco ocupantes, sendo três passageiros, o piloto e o copiloto da aeronave.

A Cemig (Companhia de Energia de Minas Gerais), confirmou que houve um impacto em uma fiação de torres de energia há aproximadamente 500m do local do acidente. A suspeita é de que a aeronave tenha batido no fio para-raios (que não é energizado), fazendo com que perdesse velocidade e caísse na cachoeira.

A torre de energia fica localizada em um morro, já que o local é cercado de vales e montanhas. Apesar de não estar sinalizada com bolas vermelhas, no entanto, autoridades afirmam que esse tipo de torre não tem a obrigatoriedade de conter as bolas características que auxiliam os pilotos de aeronaves na identificação desses grandes objetos, justamente para evitar um acidente.

A princípio, a assessoria de Marília havia enviado uma nota para a imprensa informando que todos os ocupantes da aeronave haviam sido resgatados com vida após o acidente. A nota foi dada ao vivo no Plantão da Globo, dando esperança para milhões de fãs e para os parentes das vítimas, mas depois a confirmação de que nenhum ocupante da aeronave tinha sobrevivido, ocupou as manchetes de todo o país.