Fechar
MÚSICO SEGUE INTERNADO

Negacionistas vinculam vacina a mal súbito sofrido pelo sertanejo Maurílio

O cantor sertanejo Maurílio foi alvo de comentários de negacionistas nas redes sociais

Jean TellesRepórter do EM OFF

O cantor sertanejo Maurílio, que faz dupla com Luísa, foi alvo de comentários de negacionistas contra a vacina da Covid-19 em suas redes sociais após ter sido hospitalizado. Como é sabido, o músico sertanejo foi internado na madrugada dessa quarta-feira (15), após ter um mal súbito durante a gravação de um DVD e acabou sofrendo três paradas cardíacas. 

“Ele teve uma parada cardíaca, ainda não se sabe a causa. Estamos tentando investigar. No momento, [o estado de saúde é] muito grave”, relatou o médico intensivista Wandervan Azevedo, ao Metrópoles. O profissional de saúde que cuida do cantor sertanejo declarou ainda que desconfia que a causa das paradas cardíacas tenham acontecido devido a um tromboembolismo pulmonar ou infarto. 

Por isso, o sertanejo passa por um exame chamado angiotomografia, que identifica as alterações na estrutura dos vazos sanguíneos: “Ele desmaiou terminando o evento. Ficou cansado, desmaiou e foi para o hospital”, relatou o médico. 

Os anti-vacinas, como são conhecidos aqueles que se posicionam contra o imunizante que foi o grande responsável pela queda nas mortes e nas internações causadas pela pandemia do coronavírus, lotaram as redes sociais do músico sertanejo de comentários que associaram sua recente internação com a vacina da Covid-19.  

Continua após a publicidade

Em uma publicação compartilhada por Maurílio no último dia 17 de novembro no Instagram, o sertanejo celebrou ter tomado a segunda dose da vacina contra o Coranavírus. Alguns internautas negacionistas comentaram recentemente no post vinculando o mal súbito com a vacina contra a Covid-19: “Mais um para lista da picadinha!”, escreveu um internauta, “Essa vacina aí e seus efeitos colaterais”, especulou outro. 

A associação do recente episódio fatídico do músico sertanejo com a vacina da Covid-19, pode ter se dado devido ao efeito colateral adverso da vacina da Pfizer que pode, em casos muito raros, causar miocardite que é uma infecção do músculo cardíaco que pode ser consequência de uma série de infecções virais ou até mesmo de vacinas contra vírus. 

Essa inflamação no coração pode ser bem leve e passar rapidamente sem que crie maiores complicações. Ou pode, sem os devidos cuidados enfraquecer os músculos levando a insuficiência cardíaca, batimentos fora do normal e em casos extremos em morte súbita. É muito importante, no entanto, salientar que esse tipo de reação adversa em vacinas da Pfizer são raros e praticamente leves em todos os casos. 

A colunista de Saúde do UOL, Lucia Helena de Oliveira, falou a respeito desse tema em recente artigo publicado no portal de notícias: “Os casos de miocardite depois da vacina com RNA mensageiro, feito a da Pfizer, não apenas são raros como praticamente todos eles são leves”. Além disso, é sempre importante lembrar que só no Brasil já somam mais de 617 mil vidas perdidas pelo Coronavírus e esse número poderia ter sido muito maior caso a vacinação não estivesse avançado no país.