Fechar
HOMOFOBIA!

Padre que ofendeu jornalistas da Globo é denunciado pelo Ministério Público

O Ministério Público abriu investigação contra o padre Paulo Antônio Müller

Jean TellesRepórter do EM OFF

O Ministério Público do Estado do Mato Grosso abriu investigação contra o padre Paulo Antônio Müller, após o religioso ter viralizado nas redes sociais ao ofender o casal de repórteres da Globo Erick Rianelli e Pedro Figueiredo. 

“A gente faz um namoro, não como a Globo apresentou essa semana. Dois viados. Desculpa, dois viados. Um repórter com um veadinho, chamado Pedrinho. ‘Prepara meu almoço, tô chegando, tô com saudade’. Ridículo! Que chamem a união de dois viados, duas lésbicas, como querem, mas não de casamento”, disse o religioso. 

De acordo com informações do G1, o MP declarou que “as declarações do padre extrapolaram a liberdade religiosa e podem resultar em medidas extrajudiciais, de ação civil pública por dano moral coletivo causado à sociedade, bem como ação penal, por eventual crime cometido”

O repórter da Globo Erick Rianelli já havia usado suas redes sociais para desabafar após outro episódio de homofobia contra ele e seu esposo ter viralizado. Na ocasião, um empresário, dono de uma rede de lanchonetes de Brasília, enviou áudios de cunho homofóbico dentro de um grupo de mensagens.  

O áudio viralizou chegando até os repórteres da Globo. Rianelli pediu para que seu público parasse de consumir os produtos oferecidos pelo empresário: 

“Recebi alguns relatos sobre um empresário de Brasília que reagiu com homofobia a um vídeo em que eu declarei amor ao meu marido. Agradeço por todas as mensagens de apoio! Sobre o empresário… Acho que nenhum LGBTQ+ do Distrito Federal vai comer mais nas lojas dele”, afirmou o jornalista da Globo por seu perfil no Twitter. 

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo