Fechar
BRINCANDO COM FOGO: BRASIL

Participante de reality, Kethellen Avelino foi abusada pelo pai

Kethellen Avelino, está no Brincando com Fogo: Brasil, reality da plataforma de streaming Netflix e desabafou na atração

Adriel MarquesRepórter do EM OFF

Kethellen Avelino está na primeira temporada do Brincando com Fogo: Brasil, versão brasileira do reality Too Hot to Handle, produzido e transmitido pela Netflix. O programa reúne anônimos em uma praia paradisíaca, solteiros se conhecem e curtem o confinamento. Os jovens participantes precisam renunciar um único desafio para ganhar o prêmio de R$ 500 mil, eles devem deixar o sexo de lado para garantir a bolada.

Durante uma espécie de ritual entre os participantes do reality da Netflix, a amazonense Kethellen Avelino resolveu abrir o coração. Durante o desabafo em Brincando com Fogo: Brasil, a influenciadora digital revelou um trauma do passado que surpreendeu os colegas da atração da plataforma de streaming.

Enquanto estava reunida com os jovens de Brincando com Fogo, Kethellen revelou que já foi abusada pelo próprio quando era criança. Em conversa com Bruno Almeida do Portal CM7 Brasil, a famosa deu maiores detalhes do ocorrido e como se sente hoje em dia. O episódio já está disponível para os assinantes do streaming pago.

Sobre o motivo de ter abordado abertamente um assunto tão delicado, se tratando de um programa visado, explicou que existe um propósito: “Não estou aqui para ser a coitada e não quero que as pessoas sintam pena de mim. Mas quero que me vejam como uma mulher forte que passou por tudo isso e hoje está aqui para inspirar e ajudar outras mulheres que já passaram ou passam por isso. Hoje estou com uma das maiores ferramentas e visibilidade e sei que tenho uma missão a ser cumprida nessa terra, farei o que for preciso para que outras crianças não tenham sua infância destruída, como eu tive”.

Continua após a publicidade

Segundo Kethellen Avelino, o pai costumava cometer o crime quando a artista ficava sozinha em casa: “Tudo começou quando eu tinha 6 anos. Ele [pai] esperava eu ficar sozinha em casa e me chamava para cozinha, me colocava no colo e começava a cantar: ‘Meu filho, Deus que lhe proteja e onde quer que esteja eu rezo por você, eu adoro ver você sorrindo, seu sorriso faz de tudo eu esquecer’. E então começava a tocar meu corpo, falando que me amava. Não conseguia entender o que estava acontecendo, mas sentia algo de errado, porque ele só fazia quando eu estava sozinha e sempre pedia para quando eu fosse tomar banho deixar minha calcinha dentro do quarto, também não entendia o porquê”.

A participante de Brincando com Fogo contou que o pai até mesmo quando levava a filha, ainda criança, para um culto religioso cometia os atos: “Uma vez também notei que ele estava me olhando tomar banho pela brecha do banheiro. Todas ás vezes ele queria me levar para os lugares com ele. Me colocava na frente dele na moto e me tocava, sempre queria me levar na escola dominical da igreja e nessas vezes ele parava perto do lixão da cidade para que eu o beijasse. Ele também me levou para morar com ele e a namorada, em Coari (interior do Amazonas), foi onde vivi os piores momentos da minha vida”.

“Sempre ficava sozinha com ele porque a namorada trabalhava o dia todo e só chegava a noite, e os abusos eram constantes. Ele me ameaçava porque eu chorava muito, falava que eu nunca poderia falar para ninguém porque se eu falasse iria ser devolvida para minha mãe, iria passar fome, poderia até morrer e que a minha mãe avó nunca acreditaria em mim”, completou o desabafo.

Kethellen Avelino contou que quando tinha 10 anos uma professora sugeriu que todas ás vezes que as crianças não conseguissem desabafar ou conversar com alguém, poderiam escrever que seria uma maneira de ajudar. A influenciadora digital colocou em prática o conselho que recebeu na palestra e fez toda a confissão em um diário.

Na entrevista a beldade relatou que os abusos sexuais continuaram até os 12 anos. A salvação foi quando uma de suas tias encontraram o diário e leram os relatos, um detalhe importante na história é que as parentes também haviam passado pela mesma situação. A avó ficou desesperada e não acreditou, Kethellen disse que por amor abafaram a história na época.

“Dentro do reality, uma terapia para tratar traumas me fez voltar ao passado e tudo veio à tona. Desmoronei, não conseguia gritar, só chorar e chorar. Levei tudo muito a sério, pra mim não foi um simples reality”, comentou sobre a experiência de compartilhar com os colegas de Brincando com Fogo: Brasil.

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo