PACTO BRUTAL

Peritos criminais falam sobre impunidade no caso Daniella Perez

Guilherme de Pádua e Paula Thomaz foram soltos 7 anos após o assassinato de Daniella Perez

Jean Telles
Repórter do EM OFF

Os peritos criminais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa do estado de São Paulo, Rix Averback e Leo Kanashiro foram entrevistados recentemente pelo podcast “Inteligência LTDA”. Na ocasião, os profissionais repercutiram o crime ocorrido no assassinato brutal da atriz Daniella Perez, que completa 30 anos em 2022. 

O assunto voltou a ser repercutido após o lançamento do documentário “Pacto Brutal”, da HBO Max, que narra os acontecimentos do assassinato de Daniella Perez. O seriado conta com depoimentos de sua mãe, a autora Glória Perez e de amigos famosos, como Alexandre Frota, Fábio Assunção e Eri Jhonson. 

Rix iniciou sua fala fazendo um comparativo entre o sistema judicial do Brasil e dos Estados Unidos. O perito citou casos onde, dependendo da natureza do crime, até menores de idade são julgados como adultos. E logo em seguida destacou a brutalidade do crime sofrido pela filha de Glória Perez:

“A gente vê no documentário da Daniella Perez aí, foram tantas facadas no mesmo lugar que o coração dela ficou exposto”, iniciou dizendo o profissional perito. “Entra a questão da impunidade, entra a questão de a gente já ter se acostumado com essas coisas absurdas e entra um pouco do criminoso perceber que ele está em uma sociedade onde tem muita gente que o defende”, considerou Rix Averback. Logo em seguida, Leo Kanashiro, também deu sua opinião sobre o caso: “Tem gente que defende e que paga pau”

Os responsáveis pelo assassinato de Daniella Perez, Guilherme de Pádua e Paula Thomaz, foram condenados há 19 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado, com motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima. No entanto, Pádua foi solto pouco mais de 6 anos após o crime, em 1999, após cumprimento de um terço da pena, por bom comportamento. Paula também foi solta naquele mesmo ano. 

Relembre o caso Daniella Perez:   

A atriz Danielle Perez foi assassinada de forma brutal quando tinha 22 anos. Ela estava no ar no horário nobre da Globo, quando foi morta por seu colega de elenco Guilherme de Pádua, em 1992. Os dois faziam par romântico na novela “De Corpo e Alma”. O crime ocorrido entre as festividades do Natal e Ano Novo, chocou os brasileiros.   

O corpo da filha de Glória Perez foi encontrado abandonado, com perfurações de golpes de punhal, em um matagal na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A frieza com que Guilherme de Pádua lidou com o crime, chegando a consolar até mesmo a Glória Perez, escandalizou o país.   

Em depoimento à polícia, Guilherme de Pádua confirmou que havia se aproximado de Daniella, por ela ser filha da autora de novelas. Ele temia que seu personagem fosse reduzido na trama da Globo e vinha expressando seu descontentamento com a jovem atriz. Quando recebeu o roteiro e percebeu que havia ficado de fora de dois capítulos, imaginou que Daniella havia reclamado com a mãe e armou o assassinato brutal, junto com sua esposa, que tinha ciúmes dele com a atriz. 

A GRANDE DIFERENÇA DA IMPUNIDADE NO BRASIL X EUA - RIX AVERBACH (LOCAL PRESERVADO) E LÉO KANASHIRO