Fechar
Paz

Preocupado com a carreira, Leo Bittencourt procura Carla Dias após ofensa

O ator Leo Bittencourt reconheceu o erro e pediu desculpas a atriz Carla Diaz após publicação desrespeitosa no Twitter

Augusto ViannaRepórter do EM OFF

O clima entre os atores Carla Diaz e Leo Bittencourt não foi um dos mais amistosos nos últimos dias. Os famosos, que protagonizam os filmes “A Menina que Matou os Pais” e “O Menino que Matou Meus Pais”, polemizaram nas redes sociais após Bittencourt compartilhar uma imagem no Twitter fazendo uma “brincadeira” com a história do crime que chocou o país em 2002 e que inspirou os filmes. Agora, o ator se desculpou com a colega.

A postagem feita por Bittencourt continha as imagens dos dois personagens e trazia a inscrição “Topa Tudo Por Bucet*”. O ator repostou a “brincadeira” com a legenda: “Ai é fod*”. Na ocasião, a ex-sister do BBB21 se sentiu ofendida com a atitude do ator e pediu respeito. Em entrevista à jornalista Carla Bittencourt, do jornal O Globo, Léo explicou sobre o mal entendido.

Respeito muito a Carla enquanto pessoa e profissional”, começou ele. Logo na sequência, Leo contou que não está habituado a tamanha exposição e acabou por cometer o erro: “Esse lugar de exposição é muito novo. A partir do momento em que entendi que ela se ofendeu, apaguei e pedi desculpas. Faz parte do processo de amadurecimento ouvir e não repetir mais. A gente chegou a conversar quando tudo aconteceu”

Ele garantiu que respeita Carla Diaz e que não sabia que o post tomaria tanta repercussão. “Ela sabe do meu respeito por ela. Estou aprendendo a lidar com tudo isso, com responsabilidade de não compartilhar esse tipo de brincadeira. Depois disso, as minhas redes sociais voltaram a ter o mesmo apoio, e isso é o mais importante. Sempre priorizei minha carreira. Fico feliz porque entenderam que foi um erro pontual que não vai se repetir”, ponderou o ator. 

Continua após a publicidade

O mal-estar entre eles ocorreu no dia primeiro de outubro, no Twitter. Logo depois da publicação de Leo, a ex-Chiquititas desabafou na mesma rede social. “Brincadeira tem limite! Hoje me senti muito desrespeitada como mulher e profissional. Não vou me calar, chega! Inclusive vou fazer uma limpa por aqui…Sempre me pedem para vir no Twittter, mas toda vez é um caos, discórdia e falta de respeito com o próximo. Não compactuo com isso”, escreveu ela mostrando insatisfação.

Relembre a treta

Com a repercussão e comentários negativos do público,  o intérprete de Daniel Cravinhos nos longas-metragens apagou a publicação e pediu desculpas à colega de profissão. “Do fundo do meu coração, jamais imaginei que isso pudesse ser ofensivo. Eu não tenho nada a fazer além de pedir desculpa, ouvir e não repetir. Triste de verdade com o rumo que isso tomou. Mais uma vez, desculpas”, disse ele direcionando-se a Carla. Eles mostraram tanta química nas cenas, que a internet começou “shippar” os dois como casal.

Repercussão e filme

Leo Bittencourt já participou de diversos trabalhos na televisão, como a novela “Malhação: Vidas Brasileiras” e a série “Segunda Chamada”, ambas produções da TV Globo, mas nada lhe deu a repercussão dos filmes. “De fato, preciso aprender ainda a lidar com a responsabilidade de ter mais exposição. Fui inconsequente, irresponsável e estendo meu pedido de desculpas a todas as mulheres que se sentiram ofendidas”, explicou. O filme trouxe projeção nacional para Leo e o rapaz de 27 anos recebeu elogios da crítica especializada e do público que assistiu as duas histórias sobre óticas diferentes. 

Com o filme sobre o assassinato do casal Marisia e Manfred cometido por Suzane Von Richthofen e os irmãos Cravinhos, Daniel e Cristian, Leo Bittencourt chegou em outro nível da carreira. “Eu fico tão feliz. Foi um projeto de muita expectativa, estávamos nessa ansiedade. Agora vemos todos elogiando o trabalho, especialmente as atuações. A gente sabia da dimensão de falar do crime de maior repercussão do país!”, comemorou ele. 

No mesmo dia do lançamento, os filmes movimentaram a web e geraram diversas opiniões. “Muito triste como o cinema brasileiro é desvalorizado no exterior. Acabei de ver o menino que matou meus pais/a menina que matou os pais e meu Deus! Que atuação impecável de todo elenco, principalmente da Carla Diaz. Se ela fosse estadunidense facilmente iria concorrer ao Oscar de verdade”, elogiou uma internauta.

Ainda teve quem achou que faltaram partes importantes na produção brasileira.  “O maior pecado do filme da Suzane foi não ter mostrado o enterro dos pais dela. Eu pensei que ia mostrar em um dos filmes, porque, meus amores, aquele choro dissimulado dela foi o ápice. Seria icônico demais ver a Carla Diaz fazendo aquela cena”, criticou outro espectador na rede social.

Você usa TELEGRAM? Então entre no nosso canal e receba nossas notícias no seu celular.
Basta clicar aqui -> https://t.me/portalemoff