Fechar
Condenado!

Robinho tem pedido de extradição e prisão protocolado na Itália

A Justiça italiana pediu a extradição e prisão do ex-jogador Robinho e de um amigo, condenados por abuso sexual em grupo no país europeu

Aline TorresRepórter do EM OFF

A vida do ex-jogador de futebol Robinho não está nada fácil. Após ser condenado por violência sexual e ser condenado a nove anos de prisão pela última instância da Justiça italiana, agora a Procuradoria de Milão encaminhou nessa terça-feira (15), o pedido de extradição e prisão do ex-Seleção Brasileira. O amigo do jogador envolvido no crime, Ricardo Falco, também recebeu a mesma medida.

Os pedidos foram protocolados pela promotora Adriana Blasco, mesmo sabendo que a probabilidade do ex-jogador e do amigo serem extraditados é baixa, por causa de uma cláusula da Constituição Brasileira que não permite que seus cidadãos sejam extraditados. No entanto, os pedidos deverão ser enviados formalmente ao Brasil nos próximos dias, segundo o UOL.

No processo movido pela vítima, apenas Robinho e o amigo Ricardo receberam condenação. Outros quatro amigos do jogador, que estavam envolvidos no caso, acabaram deixando a Itália na época das investigações e não foram processados por não terem sido avisados do fim das investigações.

Em 2013, quando Robinho defendia o Milan da Itália, ele teria abusado sexualmente com mais quatro amigos de uma moça albanesa, na época com 22 anos, em uma casa noturna. A Justiça italiana comprovou a denúncia após trocas de mensagens de Robinho com o amigo Ricardo, o que acabou comprovando o crime.

Continua após a publicidade

Segundo as investigações da polícia italiana, a moça estava na mesma boate que Robinho e os amigos quando teria sido abusada, no entanto, teria encontrado eles após a saída da esposa do ex-jogador do local. Em seguida, todos os envolvidos teriam dado bebida o suficiente para que a jovem ficasse inconsciente e cometessem o ato sexual.

O Ministério Público italiano afirmou após as investigações que o grupo de homens levou a moça para um camarim inconsciente e lá mantiveram relações sexuais em grupo com ela. Robinho chegou a ter o telefone grampeado e em uma das conversas com Jairo Chagas, ele debocha das investigações e avisos do amigo: “Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”, disse na ocasião.

Ele ainda relatou a noite do abuso pelas mensagens: “Olha, os caras estão na m… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei naquela garota. Vi (nome do amigo 2) e os outros f… ela, eles vão ter problemas, não eu. Lembro que os caras que pegaram ela foram (nome do amigo 1) e (nome do amigo 2). Eram cinco em cima dela”, afirmou o ex-jogador através das mensagens.

Robinho e Ricardo foram condenados na primeira instância em 2017 e em seguida, pela Corte de Apelação, em 2020 a 9 anos de forma definitiva, mesmo os advogados de defesa terem alegado que o ex-jogador era inocente e que teria feito sexo de forma consensual com a moça. Mesmo assim, a pena não foi diminuída.