Fechar
NO TWITTER

Vera Fischer homenageia Pabllo Vittar no Dia do Orgulho LGBTQIA+

"Como é significativa sua presença em todas as mídias nesse nosso tempo", celebrou a atriz

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

Neste dia 28 de junho, é celebrado o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. A data, que começou a ser comemorada na década de 1970, é um convite à reflexão sobre a inclusão, da igualdade e do combate à LGBTfobia em toda a sociedade. Diversos artistas não deixaram a data passar despercebida, como a atriz e ex-contratada da Globo Vera Fischer.

A famosa usou suas redes sociais nesta segunda-feira (28) para fazer uma homenagem à cantora Pabllo Vittar. “Não quero comemorar um dia de orgulho falando das mortes absurdas e do preconceito criminoso que ainda existe no Brasil. Não quero! Apesar de saber que é fundamental alertar e denunciar“, escreveu a atriz no Twitter.

Quero celebrar esse dia tão importante para os LGBTQIA+ falando dela, a @pabllovittar“, completou a protagonista de Laços de Família. “Como é significativa sua presença em todas as mídias nesse nosso tempo! Ela é talento, superação, beleza, sucesso e o mais importante… referência! Viva a diversidade! Viva a representatividade!”, concluiu Vera.

Diversos fãs da cantora e da própria atriz ficaram felizes com a homenagem e parabenizaram Vera pela sensibilidade. “Aaah Vera, não é à toa que você é considerada uma deusa“, disse o internauta Juliano Vilaka. “Ela é a maior que nós temos, Verinha!!”, defendeu o seguidor Filipe Marrocos. “Duas divas que nos orgulham muito!“, ressaltou Felipe Peregrine.

Continua após a publicidade

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ nasceu no início da década de 1970. Até 1966, em Nova York, era proibido para gays se reunirem em locais públicos na cidade, sob o pretexto de que causariam desordem. Fora do espaço público, as relações privadas entre pessoas do mesmo sexo eram criminalizadas na mesma época.

Segundo o UOL, com a legislação como respaldo, era comum a violência de policiais contra membros da comunidade LGBTQIA+. Mesmo com a revogação da lei, uma violenta abordagem policial no bar Stonewall Inn, um espaço que recebia o público LGBTQIA+, despertou a revolta das pessoas presentes.

Em 28 de junho de 1969, agentes tentaram prender 13 pessoas o que gerou um levante popular, há 52 anos. O movimento fez com que o efetivo tivesse de pedir reforço em virtude também do início de um incêndio no local.

Nos dias seguintes, uma série de mobilizações reuniu milhares de pessoas em diferentes pontos da cidade. Uma ano depois, em memória ao episódio, uma multidão marchou do bar até o Central Park, na que é considerada a primeira Parada Gay dos Estados Unidos, consagrando assim o Dia do Orgulho LGBTQIA+.