Fechar
Desabafou no palco

Wesley Safadão desabafa em cima do palco sobre cancelamento de shows

Wesley Safadão está indignado com o cancelamento de show por causa decretos que estipulam um número pequeno de pessoas para is aos eventos

Aline TorresRepórter do EM OFF

Wesley Safadão é mais um artista que resolve se pronunciar após as baixas de show e números de público restrito após decretos de várias cidades por conta da pandemia de Covid-19. O cantor aproveitou um dos momentos de pausa entre uma música e outra durante um show em uma cidade do litoral de Pernambuco, Tamandaré:

“Eu não vou ficar em casa mais. Vou sair pra trabalhar porque eu tenho conta pra pagar e as pessoas que trabalham comigo também têm. Se depender de mim o show não vai parar. Respeitem a turma que faz evento”, disse o cantor em trecho de vídeo publicado pelo colunista do portal Metrópoles, Leo Dias.

Safadão iria participar de um festival de música na cidade, o “Verão Tamandaré”, que contaria com os shows de outros artistas como Jorge & Matheus, Nattan e Eric Land. No entanto, precisou ser cancelado, fazendo com o artista fizesse um show pra o público de apenas 3.000 pessoas, que é o que regulamentava a nova diretriz imposta na tentativa de conter a contaminação pelo coronavírus.

Foi durante o “WS in Tamandaré” que o cantor resolveu fazer um longo desabafo em apoio aos trabalhadores do setor de eventos e entretenimento, já que no momento, são os principais afetados pelo cancelamento de vários shows Brasil afora. Prefeitos e governadores tomam as mesmas medidas restritivas para tentar barrar o avanço do vírus no país.

Continua após a publicidade

“Todo mundo tem conta pra pagar, se depender de mim o show não vai parar.Se for pra mil pessoas eu vou cantar pra mi, se for pra duas mil eu vou cantar pra duas mil, se for pra três mil eu vou cantar pra três mil”, disse ainda o cantor que continuou: “Se alguém aqui já festa de aniversário, festa de casamento, deve saber como é o pepino de realizar um evento”, ressaltou o artista.

“Você imagina pra um evento de 10 mil, 20 mil pessoas, não é brincadeira não”, concluiu Wesley que aproveitou para agradecer o público da cidade pernambucana. Wesley Safadão não é o único que está sendo afetado pelo coronavírus, que teve uma expressão grande no número de contaminados após as festas de final de ano.

Leo Santana não se segurou

Leo Santana não está nada feliz com as novas mudanças ocasionadas estipuladas pelo Governo do Estado da Bahia, onde o cantor mora e onde o axé impera. Devido ao crescimento de casos de Covid-19 e das síndromes gripais no estado, o governo baiano decidiu diminuir por meio de um decreto o número de pessoas que os grandes eventos podem receber.

Agora, os shows realizados no estado poderão receber somente até 3.000 pessoas em lugares abertos. Assim, os locais alugados pelos artistas poderão ser trocados por lugares menores, que atendam ao número estipulado. Por causa disso, eventos que já estavam com um número de ingressos vendidos maior que o determinado tiveram de ser cancelados.

Foi o caso das duas próximas edições do “Baile da Santinha”, comandado por Leo Santana, que aconteceriam nos dias 14 e 21 de janeiro no Parque de Exposições de Salvador. O local é considerado grande e ideal para receber um número alto de pessoas, assim como aconteceu na última edição, ocorrido no último final de semana.