Fechar
reality show

Eliminado de ‘No Limite’ expõe bastidores do processo seletivo

Adriano Gannam analisou sua participação no reality show de sobrevivência da Globo

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

O que o “BBB” e o “No Limite” têm em comum? Eliminado do reality show comandado por Fernando Fernandes na semana retrasada, Adriano Gannam abriu o jogo e contou detalhes dos bastidores dos realities exibidos pela Globo. O processo seletivo para entrar nos programas, algo proibido pela direção, acabou sendo exposto em uma conversa com seguidores em sua conta oficial no Instagram.

De acordo com o psiquiatra, a Globo segue alguns pontos do “Big Brother Brasil” na seletiva para o programa se sobrevivência. A cadeira elétrica, fase em que os candidatos a vagas da atração ficam de frente para uma bancada formada por diretores de elenco e de entretenimento da emissora, é apenas uma. A revelação foi feita através de uma caixinha de perguntas na ferramenta Stories.

“Acredito que tenha algumas diferenças porque são dois realities diferentes. Uma das coisas que eu sei que tem dois, que é igual, é a cadeira elétrica. Todo mundo que entrou no ‘BBB’ e no ‘No Limite’ passou pela cadeira elétrica”, contou Adriano Gannam, que também analisou a sua participação em “No Limite”. “Acho que minha passagem foi breve, mas foi intensa. Tenho recebido muitas mensagens de carinho”.

Em entrevista ao site do programa após sua eliminação, o mineiro de São Lourenço lamentou ter sido eliminado na segunda semana de confinamento. “Saio diferente da forma que entrei. Foi um desafio muito grande, eu prezo muito o silêncio e as pessoas falam o tempo todo. Já passei por outras experiências, mas nenhuma foi tão intensa como essa que passei aqui”, contou.

Continua após a publicidade

O psiquiatra também analisou a sua estratégia de jogo e pontuou o que teria o prejudicado. “Quando cheguei, achei que pudesse criar uma estratégia de levar os mais fortes até o fim, mas foi um grande erro. Eu sou um cara que me dou bem com todo mundo. E essa minha diluição dentro do grupo, que era uma coisa positiva no início, começou a me prejudicar quando a tribo se dividiu.”

A discussão com Victor Hugo no “No Limite” não passou despercebida pelo mineiro, que reconheceu ter subestimado Roberta no programa. Ele foi o segundo a deixar a Tribo Lua em uma votação no portal da eliminação em que os integrantes da equipe perdedora da prova de imunidade votam entre si e definem quem deixa a disputa pelo prêmio de R$ 500 mil.

“Vendo o episódio de ontem, ela [Roberta] tinha razão. Eu a subestimei, acreditei que ela era minha adversária quando, na verdade, o meu adversário [Victor Hugo] estava ao meu lado me chamando de “amigo”. Ontem vi que ele tentou me derrubar em vários momentos. Falou para um monte de gente que ia votar em mim enquanto eu achava que a gente tinha uma aliança.”