Fechar
VITÓRIA DO EX-BBB

Adrilles Jorge é inocentado pela Justiça após suposta saudação nazista

O juiz Marcio Falavigna Sauandag argumentou que não entendeu o gesto polêmico como uma forma da difundir a ideologia

Bruno PintoRepórter do EM OFF

Um dos assuntos que acabou ganhando grande repercussão nas redes sociais recentemente foi o caso de Adrilles Jorge. O comentarista político da Jovem Pan acabou se exaltando durante seu comentário, ocorrido nos últimos instantes de um telejornal do canal de notícias, fez um gesto similar ao Seig Heil, muito utilizado no período nazista, e surpreendeu até mesmo seus colegas de programa.

O caso deixou diversos telespectadores revoltados e o ex-participante do “Big Brother Brasil” foi duramente criticado na internet. Com o vídeo em que o comentarista aparece fazendo a saudação se tornando viral, sendo compartilhado por milhares de pessoas indignadas com a atitude, Adrilles foi denunciado pelo Grupo Especial de Combate aos Crimes raciais e de Intolerância, do Ministério Público de São Paulo.

A Justiça analisou o caso de forma cautelosa e, depois de pouco tempo, a sentença foi anunciada. Segundo informações divulgadas pelo portal UOL, o juiz discordou da promotora e entendeu que a denúncia não poderia ser aceita porque, ao fazer o comentário, mesmo diante do gesto, Adrilles não pareceu ser favorável ao nazismo, tendo feito um discurso contra o movimento ideológico.

De acordo com a promotora Maria Fernanda Pinto, foram analisadas 60 participações do comentarista no mesmo programa e, em nenhuma delas, ele teve a atitude suspeita: “O contexto evidencia que o gesto nazista foi a maneira não verbal do denunciado de reafirmar os argumentos anteriores [feitos durante o programa] no sentido de que o nazismo foi menos ruim historicamente que o comunismo, revelando, pelo gesto, a própria preferência dentre os regimes”.

Continua após a publicidade

Entretanto, mesmo diante das informações descritas pela promotora, o juiz Marcio Falavigna Sauandag não interpretou o caso da mesma maneira e disse que o ex-participante do “Big Brother Brasil” se mostrou amplamente desfavorável ao nazismo: “Tanto é verdade que, durante a fala de um colega de discussão, ele disse que ‘infelizmente’ ainda existem movimentos neonazistas”.

O juiz descreveu o polêmico gesto feito por Adrilles Jorge como “abjeto e asqueroso” e disse ainda que ele “não pode ser pinçado e isolado do contexto que o antecedeu”. Sendo assim, a magistrado concluiu dizendo que o comentarista da Jovem Pan não teve a intenção de fazer o Seig Heil, ou seja, “uma ação livre e consciente tendente a difundir a ideia de segregação ou superioridade entre seres iguais”.

O CASO

Logo nos últimos momentos de seu comentário, já no final do noticioso da Jovem Pan News, Adrilles estendeu a mão direita e disse: “Até sempre e tchau”. Na sequência, o comentarista da atração jornalística começou a sorrir depois de fazer o gesto que deixou até mesmo o apresentador William Travassos incrédulo com o que havia acabado de presenciar: “Surreal isso aí”, disse o jornalista.