ExclusivoApós agressão, repórter do SBT revela detalhes da briga com jornalista petista

Daniel Penna-Firme abre o jogo sobre discussão com jornalista petista na Redação do SBT

Paulo Henrique Lima
Repórter

Após revelar ter sido agredido por uma jornalista na Redação do SBT, no Rio, o repórter Daniel Pennna-Firme conversou com exclusividade com o EM OFF e deu detalhes do episódio de motivação política. Ao contrário do que foi ventilado, o desentendimento com uma apoiadora de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ocorreu no intervalo dos 1º e 2º turnos das Eleições de 2018.

O comunicador teve uma ligação com a esposa interrompida pela petista após revelar que não iria à festa de aniversário de um famíliar por eles serem apoiadores do ex-presidente. “Eu estava na sala anexa à Redação, uma sala que funcionava como arquivo e que também haviam alguns blazers de repórteres pendurados. Estava falando ao telefone com a minha esposa e essa pessoa chegou e ouviu o papo no qual eu falava daquela questão política. Nós tínhamos um aniversário em família e a gente estava receoso de ir porque iria surgir naturalmente uma conversa sobre política.”

“Essa pessoa entrou na sala e se meteu na conversa: ‘por que você não quer ir ao aniversário da sua família por causa de política?’. Eu falei que não porque daria ruim. Toda hora no grupo de família tem discussão. Eu vou votar no Bolsonaro. Ela falou: “mentira que você vai votar no Bolsonaro”. E eu continuei falando que era um [lado] da família mais fechado, um pessoal que não era próximo a mim e são petistas. E ela: “mentira, não quero acreditar. O Bolsonaro é fascista”, teria se exaltado a também repórter do SBT.

Durante a discussão verbal, a colega de trabalho de Daniel, segundo o próprio, o agrediu fisicamente. “Essa pessoa me deu uma cusparada: “Fascista, olha aqui como se trata um fascista”. Ela deu as costas e saiu rindo porque na cabeça daquela pessoa estava fazendo isso de brincadeira. Eu fiquei estatelado. Era um plantão de sábado, final de expediente e estávamos em uma sala a sós. Ela saiu rindo. Eu fiquei parado e falei: ‘ela me cuspiu. A que ponto chega’. Comecei a chorar.”

Penna-Firme, que vai concorrer a um cargo de Deputado Estadual no estado do RJ pelo União Brasil, não reagiu e nem reclamou com o departamento de Recursos Humanos ou compliance do SBT. Na emissora, o assunto chegou ao conhecimento da alta cúpula somente após uma entrevista do jornalista ao podcast de Rica Perrone. As colocações do profissional, principalmente por ter dito que tudo ocorreu dentro das dependências do canal, não foram vistas com bons olhos.

O EM OFF noticiou com exclusividade que os diretores da emissoras iniciaram uma caça às bruxas para descobrir quem agrediu o repórter. A reportagem procurou o SBT e questionou sobre medidas legais sobre o caso. Em nota, o canal disse que questionou Daniel sobre quem seria a colega de trabalho, mas o mesmo se recusou a falar. Diante de negativa, a emissora pretende interpelá-lo judicialmente. “Consultamos o Jurídico sobre a possibilidade de interpelá-lo judicialmente: ou revela o nome dela ou ele deverá se retratar.

À reportagem, Daniel Penna Firme disse que a mulher em questão já não faz mais parte do quadro de funcionários do canal. Ele também garantiu ter revelado a identidade da ex-colega de trabalho a um diretor da empresa.