Fechar
NETO DE BENEDITO RUY BARBOSA

Autor de ‘Pantanal’ revela medo e alívio ao assistir a novela

Bruno Luperi comemorou o sucesso e repercussão do folhetim das nove, que foi escrito originalmente por seu avô

Bruno PintoRepórter do EM OFF

O remake de “Pantanal” se transformou no mais novo sucesso da televisão. Além dos excelentes índices de audiência que o folhetim das nove vem registrando dia após dia, conseguindo quebrar seus próprios recordes desde a estreia, ocorrida no dia 28 de março, a trama de Benedito Ruy Barbosa foi além dos números no Ibope e tem se tornado constantemente um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

Diante do grande sucesso da novela, Bruno Luperi, neto de Ruy Barbosa e autor do remake de “Pantanal”, disse estar muito feliz e satisfeito com os resultados que estão sendo obtidos pela trama. Em entrevista ao jornal O Globo, Bruno fez um balanço de sua carreira e comemorou o momento especial que está vivendo em meio a repercussão que o folhetim está gerando.

Luperi relembrou o início de sua jornada profissional em uma profissão diferente da atual e confessou que não demorou muito tempo para notar que herdou o mesmo dom de seu avó, que é um dos grandes autores da teledramaturgia brasileira: “Fui publicitário por muito tempo. Era um cantinho seguro, um refúgio onde me escondi do peso, da importância do meu avô. Aos 25 anos, comecei a ver que não tinha jeito, meu sangue falava mais alto”.

O autor revelou que teve muito receio em sair de sua zona de conforto para se aventurar em algo completamente novo. Ele disse ainda que, ao assistir a novela, ficou muito aliado: “É uma transição difícil, com alguns medos. Para quem tem alguém com a relevância dele, é muito difícil sentar nessa cadeira. Quando Pantanal estreou e foi bem, falei: ‘Ainda bem que não estraguei a novela’. Foi um alívio!”.

Continua após a publicidade

Bruno disse ser muito grato por poder estrear um trabalho solo e de tamanha importância, tendo Benedito Ruy Barbosa como telespectador: “É muito bom poder fazer ‘Pantanal’ com meu avô vivo e lúcido. Ele fala que é a primeira novela a que ele assiste, de fato, como público, e está gostando. Mas essa falta de controle é uma sensação nova para ele. Pelas nossas conversas, acho que ele viveu muitas angústias”.

O autor contou que seu avô deu o aval necessário para que ele pudesse demonstrar todo o seu trabalho, tendo em vista a confiança de Benedito em seu neto: “Não tem como ficar pedindo benção para cada palavra. Ele confiou em mim, mas sempre foi um cara que escreveu sozinho. Isso foi muito delicado. Ele falava ‘a novela é tua’, e eu dizia ‘é sua’, numa discussão sobre trazer tal ator”.

Por fim, Bruno Luperi revelou uma das conversas que teve com Ruy Barbosa a respeito da protagonista de “Pantanal”: “Sobre Juma, eu falei: ‘A Juma que você está querendo é mais velha, muito conhecida. A personagem é uma onça, vive no meio do Pantanal, duas esquinas depois do fim do mundo. Não pode ser um rosto muito grande. Ela é uma menina na flor da idade’. Eram convicções que ele tinha com algumas pessoas, eu com outras”.