Fechar
SUFOCO

Band vai parar na Justiça por causa do ‘MasterChef Brasil’

Por conta de uma ação judicial, a emissora de Jhonny Saad corria o risco de ter que alterar o nome do reality show de forma imediata

Bruno PintoRepórter do EM OFF

Prestes a estrear a nona temporada do “MasterChef Brasil”, que vai ocorrer na noite desta terça-feira (17), a Band acabou se envolvendo em um problema por conta de seu principal reality show. A situação ficou tão complicada, que o departamento jurídico da emissora de Johnny Saad precisou agir rapidamente e de forma eficiente para não perder a marca “MasterChef”, já consolidada na televisão e no mercado.

O embate judicial começou em 2020, quando Mausi Sebess, um instituto gastronômico, entrou na Justiça contra a Band e a Endemol Shine, dona do formato, reivindicando a marca utilizada há anos. Por conta disso, a emissora paulista corria o risco de ter que fazer uma alteração no nome do reality show às pressas, causando uma grande correria e tensão nos bastidores.

Para o alívio e felicidade dos executivos da Band, faltando apenas seis dias para o primeiro episódio da nova temporada ir ao ar, a Justiça não acatou a solicitação do instituto de gastronomia e a marca “MasterChef” poderá ser utilizada normalmente. As batalhas entre as partes vem acontecendo desde maio de 2020 e, em todas elas, a emissora de Johnny Saad acabou saindo vitoriosa, incluindo a última, com o martelo sendo batido no último dia 11.

Diversos fatores acabaram se tornando fundamentais na decisão da desembargadora Andréa Maciel Pachá, dentre eles o campo de atuação das empresas envolvidas no processo pelo nome “MasterChef”. Isso porque, enquanto uma usa a marca com o objetivo acadêmico, a outra a utiliza em prol de uma atividade completamente diferente, neste caso, em um programa televisivo.

Continua após a publicidade

De acordo com documentos divulgados pelo portal Notícias da TV, a desembargadora esclareceu: “É inevitável a constatação de que a marca MasterChef possui notoriedade, sendo precárias e inconsistentes as provas produzidas, na tentativa de demonstrar que a apelante [Mausi Sebess] possui atividades no Brasil, com o uso da marca Master Chef, por ela registrada, que colidem com a produção e exibição do programa cuja abstenção se pretende”.

Andréa Maciel Pachá concluiu ressaltando os danos causados à Band e Endemol Shine Brasil diante de uma possível alteração no nome da atração conhecida em todo o país: “Finalmente, o provimento do recurso levaria ao risco de dano reverso, uma vez que o programa, exibido há anos sem objeção, encontra-se na iminência de nova estreia, e a sua suspensão poderia causar danos infinitamente maiores, e de mais difícil reparação, do que eventual e futuro ressarcimento por parte da apelante”.

ESTREIA

Com os problemas judiciais devidamente resolvidos e com tudo pronto para a estreia da nova temporada, o “MasterChef” chega a sua nona temporada com a missão de conseguir elevar os índices de audiência, que vem caindo a cada ano de exibição. Entretanto, se os números no Ibope não é um dos melhores, o mesmo já não pode ser dito das vendas de cotas de patrocínio, que o programa inicia com mais de 10 marcas confirmadas.