Fechar
Vale a pena ver de novo

Claudia Raia revela que recebeu exigência inusitada para atuar em novela

Protagonista de “A Fazenda” revelou bastidores da novela do “Vale a Pena Ver de Novo”

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

Claudia Raia foi convocada pela Globo para promover a reprise de “A Favorita” no “Vale a Pena Ver de Novo” em participação no “Encontro” desta segunda-feira (16). Em conversa com Fátima Bernardes, a atriz falou da expectativa para a estreia do folhetim de 2008 e revelou exigência de um diretor para interpretar Donatela. A famosa contracena com Patrícia Pillar, intérprete de Flora.

De acordo com a atriz, que já estrelou outros sucessos como “Sassaricando” (1987-1988), “Ti Ti Ti” (2010-2011) e “Salve Jorge” (2012-2013), o preparador pediu para que ela reduzisse o bumbum para a personagem. O pedido foi encarado com bom humor, mas não foi o único desafio recebido pela global para viver um dos papais mais difíceis da sua carreira na teledramaturgia brasileira.

“Quem me preparou foi o Cacá Carvalho. Chamei ele pra me ajudar, porque é um papel denso e difícil. E a primeira coisa que ele falou foi: ‘Eu quero tirar a sua bunda’. Eu falei: ‘Como assim?! Como tirar meu bumbum nessa altura do campeonato”, contou a protagonista da novela de João Emanuel Carneiro. É a primeira vez que a trama está em exibição no “Vale a Pena Ver de Novo” nas tardes da Globo.

“A Donatela veio do nada, né? Era muito pobre, comia areia e terra quando era criança e foi adotada pela família da Flora (Patricia Pillar) porque os pais dela morreram em um acidente. Uma vida dura, difícil, uma mulher rústica. E tinha que tirar esse glamour, esse meu andar de bailarina, essa coisa sinuosa que eu tenho no meu corpo. Ela [Donatela] era destra, e eu sou canhota. E o Cacá me fez fazer tudo com a mão direita. E é estranho! Quando você pega no garfo vira uma coisa mais rústica. Uma coisa que você não tem domínio”, refletiu.

Continua após a publicidade

Claudia Raia celebrou a escolha de “A Favorita” pelos diretores da Globo e elogiou o folhetim. “Uma novela de treze anos atrás, muito forte e que parou o Brasil. O João Emanuel Carneiro, com sua excelência de grande autor, trouxe esse ineditismo de revelar quem era a vilã e quem era a mocinha só no capítulo 60! Nunca ninguém tinha feito isso antes, é um coisa muito nova”.

Na entrevista ao “Encontro”, a atriz contou o processo criativo para causar dúvida no público sobre a verdadeira vilã. De acordo com a famosa, apenas ela, a direção e Patrícia Pillar sabiam quem era a verdadeira vilã. O processo envolveu as duas atrizes em um trabalho conjunto para as personagens escritas por João Emanuel Carneiro, o mesmo autor de “Avenida Brasil” (2012).

“Eu, a Patrícia Pillar e a direção sabíamos, só. Ninguém mais sabia. Você tinha que construir uma personagem que parecesse vilã, mas que depois, quando tudo fosse revelado, tudo tinha um porquê. Uma construção difícil, dúbia. Tudo tinha que ser explicado de alguma maneira. Uma novela difícil de fazer, mas tão maravilhosa”.