AO VIVO

Convocada às pressas, Ana Maria deixa a folga para homenagear Jô Soares

Após transmitir um programa gravado, o que causou estranheza em diversos telespectadores, a Globo tomou a decisão

Bruno Pinto
Repórter do EM OFF

Após causar estranheza em diversos telespectadores ao transmitir o programa “Mais Você” gravado, sem sequer tocar no nome de Jô Soares, que morreu nesta sexta-feira (05), a Rede Globo convocou Ana Maria Braga às pressas para não deixar a atração matinal terminar sem uma homenagem. Sendo assim, já nos instantes finais do programa, a apresentadora surgiu no estúdio para se despedir publicamente do amigo.

A loira iniciou seu discurso ressaltando que a atração foi gravada e, por isso, não falou sobre a morte de Jô: “Você viu aí que o nosso programa estava gravado com a semi-final do reality ‘Que Delícia’, mas agora a gente tá ao vivo, porque eu não poderia deixar de vir aqui e prestar a nossa homenagem ao grande amigo Jô Soares, porque sem o Jô, o Brasil fica mais triste e tenho certeza de que esse sentimento é de todos nós”.

A companheira de Louro Mané fez questão de enaltecer as inúmeras qualidades do apresentador e da importância dele no mundo televisivo: “O Jô era um ícone do humor, do teatro, da teledramaturgia, da literatura, das artes plásticas, da música… Ele nos deixou nessa madrugada aos 84 anos. Vale lembrar que ele estava internado desde o dia 28 de julho no hospital Sírio Libanês, em São Paulo e o anúncio da morte foi feito pela Flavinha, a ex-mulher e grande amiga do dele”.

Emocionada, Ana Maria concluiu lembrando o forte laço com o apresentador antes mesmo de fazerem parte do elenco da Rede Globo: “O Jô deixará uma enorme saudade. Saudade da genialidade, saudade dos personagens marcantes, saudade das risadas e de tudo que ele representou na vida de várias gerações… Eu conheci o Jô muito antes de chegar aqui na Globo. Eu tive a felicidade de ter sido contratada naquela leva quando o Jô voltou pra Globo, enquanto eu chegava de uma outra emissora. Eu já era amiga dele há mais de dez anos. Então, eu tive um privilégio enorme de poder conviver com ele”.